Trentino protocola reclamação contra escalação de jogador do Al-Rayyan

Ponta Al-Oui não jogou contra UPCN por situação irregular; no entanto atleta atuou normalmente nos dois primeiros jogos, incluindo o embate contra time de Itália

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Depois de jogar os dois primeiros jogos pelo Al-Rayyan-QAT, o ponta titular Mohamed Al-Oui não atuou contra o UPCN-ARG, no terceiro jogo de seu time do campeonato, nesta quinta-feira, pelo Mundial de clubes. O motivo é que o atleta não tinha um certificado de transferência internacional que autorizasse sua presença em quadra.

No entanto, Al-Oui atuou normalmente nos dois primeiros jogos de sua equipe, contra Trentino-ITA e Esperance Tunis-TUN.

A situação revoltou os italianos, que protocolaram uma reclamação formal junto à Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

“Não aceitamos isso por não achar que seja uma atitude correta. Acreditamos que seja justo que o time seja desqualificado. Não faz sentido ele não ter condições de atuar em um só jogo. Ou estava legal ou não estava”, reclama o técnico do time Roberto Serniotti.

A esperança do Trentino é que o Al-Rayyan seja punido e perca sua vaga nas semifinais. Desta forma, no grupo B, UPCN e o time italiano estariam nas semifinais. A presença de Al-Oui contra o UPCN, nesta quinta, poderia influenciar, de alguma forma o resultado da partida, o que poderia beneficiar o Trentino, em caso de derrota argentina.

Uma outra situação envolvendo o time catariano também causou protestos. De última hora, a equipe inscreveu o líbero brasileiro Alan, que não constava na lista inicial. A presença do defensor na lista definitiva incomodou muita gente que não concordou com a autorização recebida pelo time do Oriente Médio pela FIVB.

A entidade que comanda o vôlei mundia foi procurada pela reportagem no Mineirinho, mas preferiu não se manifestar de forma oficial. Informações dão conta de que a ordem veio de representantes do alto escalão da FIVB, que não estão presentes na capital mineira.