Preso segundo envolvido na morte de torcedor em Recife

Polícia de Pernambuco prendeu o segundo suspeito de envolvimento na morte do torcedor atingido por um vaso sanitário

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A Polícia de Pernambuco prendeu nesta quinta-feira, no Rio Grande do Norte, o segundo suspeito de envolvimento na morte do torcedor atingido por um vaso sanitário após um jogo no Estádio do Arruda, na última sexta-feira, pela Série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com informações ainda extra-oficiais, Luiz Cabral de Araújo Neto, de 30 anos, foi preso no município Monte das Gameleiras, no agreste potiguar, onde trabalha como funcionário público.

O suspeito não resistiu à prisão realizada nas primeiras horas desta quinta por oito policiais da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil. Araújo Neto chegou ao meio-dia na sede da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, escoltado por policiais e presta depoimento à delegada titular, Cleide Angelo.

O torcedor teria vindo a Recife no último feriado, para visitar a mãe, e seria integrante da torcida organizada do Santa Cruz. O primeiro torcedor a ser preso foi Everton Felipe Santiago Santana, 23 anos. O fato ocorreu na última segunda-feira.

Conhecido como "Ronaldinho", o torcedor do Santa Cruz foi localizado a partir de uma informação dada ao Disque-Denúncia, que oferecia R$ 5 mil pela informação. No momento da prisão, "Ronaldinho" estava em uma escola privada, no bairro de Ouro Preto, em Olinda, onde trabalha como servente de pedreiro.

A Polícia de Pernambuco informou também que o terceiro envolvido no crime está foragido. A morte do torcedor Paulo Ricardo Gomes, de 26 anos, ocorreu após a partida entre Santa Cruz e Paraná, no entorno do Arruda. Gomes caminhava próximo ao portão seis do estádio quando foi atingido por um vaso sanitário atirado da arquibancada.

Depoimento

À polícia, Luiz Cabral confessou ter atirado um dos dois vasos sanitários que atingiu e matou Paulo Ricardo. Segundo ele, Everton Felipe se limitou a arrancar os vasos sanitários do banheiro feminino do estádio do Santa Cruz, não tendo arremessado nenhum deles.

A polícia chegou a Luiz Cabral, por meio de informações de Everton - os dois integram a torcida organizada do Santa Cruz. Ao contrário de Everton, que responde a processo de porte ilegal de arma, Luiz Cabral não tem antecedentes criminais. Ainda nesta quinta, ele será encaminhado ao presídio Copel, onde Everton se encontra desde a última segunda-feira, em uma cela isolada.

Leia tudo sobre: futebolesportepresotragedialamentavelrecife