William revela estratégia de saber o momento para usar opções ofensiva

Depois de bom começo de Wallace, levantador teve que procurar alternativas para distribuir melhor o jogo

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Preparação. 
Sada  treinou para a partida que define a liderança do Campeonato Mineiro de vôlei
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Preparação. Sada treinou para a partida que define a liderança do Campeonato Mineiro de vôlei

Ter várias peças de qualidade à disposição é um dos grandes desejos de qualquer levantador. O capitão William, do Sada Cruzeiro, é um destes privilegiados. Apesar das boas opções que tem, o poderio ofensivo celeste não foi suficiente para superar o o Belogorie, da Rússia, pelo Mundial de clubes.

Depois de mostrar para os russos toda a qualidade do seu oposto Wallace, William, aos poucos, foi distribuindo melhor as jogadas durante o confronto que terminou com vitória europeia por 3 a 1.

“O Wallace começou bem e é minha função sentir o momento de cada jogador dentro da partida. Depois disso, ele foi bem marcado e tive que recorrer a outros jogadores. Temos muita qualidade nesta parte ofensiva”, destaca William.

Após ver que seu oposto já era vigiado de perto pelos russos, William foi inteligente e tentou distribuir melhor as bolas. “É preciso saber a hora certa de colocar uma bola para um jogador, até para não sobrecarregar um único atleta. É importante ter todos bem, principalmente em momentos de decisão. Nestas horas, você precisa fazer as escolhas certas, podendo acertar ou errar. Às vezes, dá certo, às vezes não. Normalmente, o Wallace corresponde muito bem quando chamado, acho que hoje não foi diferente”, destaca.

Wallace foi o maior pontuador do Cruzeiro em quadra com 15 anotações. Pelo lado russo, o destaque foi o oposto Grozer, com 26 pontos, a frente do central Muserskiy, com 20.

Leia tudo sobre: sada cruzeiromundial de voleivoleiwilliamlevantador