Apesar do empate, Adilson Batista valoriza classificação

Técnico vascaíno frisou que o objetivo máximo foi alcançado, independentemente dos percalços enfrentados

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Adilson comandou coletivo com duas equipes reservas, enquanto os titulares fizeram apenas trabalho regenerativo
MARCELO SADIO/ VASCO.COM.BR
Adilson comandou coletivo com duas equipes reservas, enquanto os titulares fizeram apenas trabalho regenerativo

Apesar do empate em casa com o Treze, o técnico Adilson Batista tratou de valorizar a classificação do Vasco para a terceira fase da Copa do Brasil, quando vai enfrentar a Ponte Preta. Segundo ele, o mais importante no jogo de quarta-feira em São Januário era conseguir a vaga - como fez 2 a 1 na ida na Paraíba o time carioca avançou.

"Era importante passar. Agora é a Ponte Preta, time de mais tradição, mais forte", avaliou Adilson Batista, admitindo que seu time teve uma "certa intranquilidade" diante do Treze e poderia ter definido a vaga sem passar sufoco. "Poderíamos ter mais calma. Mas jogo com emoção na Copa do Brasil acontece", afirmou o treinador.

Ele lembrou, inclusive, do título vascaíno na Copa do Brasil de 2011. "O Vasco em 2011 também teve muita emoção, faz parte, é jogo de Copa", explicou o técnico, que também pediu aos torcedores que sejam pacientes com os jovens jogadores que estão sendo lançados. "Precisamos ter paciência, porque é fundamental para que cresçam profissionalmente."

Antes de encarar a Ponte Preta na terceira fase da Copa do Brasil, o Vasco volta a se concentrar agora na disputa da Série B. O próximo compromisso será neste sábado, diante do Oeste, novamente em São Januário. Passadas três rodadas do campeonato, o time carioca ocupa apenas a sétima colocação, com quatro pontos somados até agora.  

Leia tudo sobre: vascoadilson batistatecnicocopa do brasil