Remoção de pacientes recebe ajuda profissional

Internação involuntária de dependentes químicos tem apoio de lutadores

iG Minas Gerais | Luiza Muzzi |

Reconhecimento. 
Famílias de viciados em crack consideram Carsalade e Silveira “mágicos”
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Reconhecimento. Famílias de viciados em crack consideram Carsalade e Silveira “mágicos”

Pensando em tornar o processo de internação involuntária de dependentes químicos menos sofrido para familiares, dois lutadores de jiu-jítsu se uniram para realizar o que chamam de “remoção humanizada de pacientes” até clínicas de recuperação especializadas. Fruto da parceria do enfermeiro especializado em saúde mental e também lutador Luiz Humberto Soriano Carsalade, 41, com o administrador Paulo Henrique Bessa da Silveira, 40, faixa preta no esporte, o trabalho tem chamado a atenção de famílias na capital mineira.

Juntos há três anos na empresa RR Rápidas Emoções, Silveira e Carsalade contam com o apoio de outros cinco parceiros para fazer, em média, 20 remoções por mês. O serviço consiste em transportar portadores de transtornos de saúde mental – como dependência química, alcoolismo, esquizofrenia, transtorno obsessivo-compulsivo e depressão, por exemplo – de casa até hospitais ou clínicas pré-definidos pelos familiares, quando é realizada a opção pela internação involuntária dos pacientes. “O crack tem atingido classes cada vez mais altas, e muitas famílias não sabem o que fazer, já que muitos dependentes químicos tendem a ficar bastante agressivos”, relata Carsalade. Segundo ele, como muitas clínicas têm vagas mas não fazem transferências, acabam indicando o serviço. “Mas nosso trabalho é independente. Prezamos por rapidez, discrição e humanização no trato com o paciente, para não haver nenhum trauma”, afirma. Procedimento.A dupla de profissionais afirma que, apesar de muitas vezes os pacientes estarem em momentos de surto na hora da remoção, não é preciso utilizar contenção física ou medicação em 99% dos casos. “Alguns se assustam, mas temos uma psicologia de abordagem e conseguimos envolver os pacientes”, explica Silveira. No entanto, se mesmo depois da conversa o dependente químico resistir, a dupla utiliza técnicas aprendidas no jiu-jítsu para imobilização, cuidando para que a pessoa não se machuque. “Mas isso é raro. Normalmente agimos pela conversa. Algumas mães já nos chamaram de mágicos por isso”, conta Carsalade. O segredo, segundo os dois, está na forma de abordar. “Montamos estratégias diferentes com base no perfil de cada um. E acabamos conquistando tanto as famílias como os pacientes”, avalia Silveira. Para isso, a dupla preenche um protocolo detalhado, elaborado por ela mesma, para apurar se a pessoa que vai ser removida é agressiva, se já tentou o autoextermínio e se possui armas de fogo ou objetos cortantes, dentre outros quesitos.

Contato Perfil. De acordo com a dupla de lutadores, cerca de 70% dos casos atendidos são de usuários de crack. Os outros 30% são de pacientes com transtornos como depressão, esquizofrenia e obsessão-compulsão. Serviço. Os lutadores da RR Rápidas Emoções trabalham 24 horas por dia. Embora atualmente 90% dos atendimentos sejam feitos em Minas, eles também transportam pacientes para clínicas e hospitais de todo o país. Agendamentos podem ser feitos diretamente pelos telefones (31) 9815-5130 ou (31) 9168-7755. Os valores cobrados variam conforme perfil do paciente e distância percorrida.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave