Chamar filha de gordinha pode levar à obesidade

Pesquisadores descobriram que o rótulo de ‘gorda’ tem peso psicológico

iG Minas Gerais |

Los Angeles, EUA. Psicólogos da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, nos Estados Unidos, lideraram um estudo que descobriu que meninas chamadas de “gordinhas” por seus pais, amigos ou namorados são mais propensas a se tornarem obesas aos 19 anos.

Para alcançar esse resultado, os pesquisadores realizaram uma trabalho com 1.213 garotas afro-americanas e 116 meninas brancas, todas moradoras de Cincinnati, no norte da Califórnia, ou de Washington, a capital do país.

No total, 58% das entrevistadas relataram que estavam com sobrepeso aos 10 anos. A altura e o peso foram medidos no início e no final do estudo – nove anos depois.

Durante o trabalho, os psicólogos descobriram que aquelas garotas que eram chamadas de “gordinhas” sofriam alto risco de se tornarem obesas – levando-se em conta os padrões do Instituto Nacional de Saúde dos EUA – aos 19 anos, em comparação com as demais meninas. A probabilidade de elas desenvolveram a obesidade era 1,66 vezes maior.

“O rótulo de ‘gordo’ tem um efeito gigantesco, mesmo uma década depois. No nosso estudo, mesmo depois de removermos estatisticamente os efeitos da renda e da raça sobre o peso, constatamos que, quando se chega à puberdade, a obesidade permanece. Isso quando estamos falando de crianças que tiveram sobrepeso e que sofriam críticas na infância”, explica o psicólogo e autor do estudo publicado na revista científica “JAMA Pediatrics”, Janet Tomiyama.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave