Lojistas do centro apostam nas vendas às vésperas da data

Em BH, comerciantes esperam reação até este sábado

iG Minas Gerais | Thaís Pimentel |

Expectativa. A Arezzo em Contagem aposta que, até este sábado, as vendas devem melhorar mais
DENILTON DIAS / O TEMPO 07.05.20
Expectativa. A Arezzo em Contagem aposta que, até este sábado, as vendas devem melhorar mais

Os shoppings já registram aumento de público por causa do Dia das Mães, mas o mesmo não se pode dizer dos lojistas do centro de Belo Horizonte. Com as vendas ainda em baixa, eles estão contando com a possibilidade de que muita gente tenha deixado para comprar o presente em cima da hora. “A gente vem sofrendo dois meses de queda nas vendas. Pelo menos 15% a menos que no mesmo período de 2013. Eu não acho que o Dia das Mães vai ser capaz de melhorar isso não. Está muito fraco”, desabafa Gustavo Patrick, gerente da Loja do Paulo, especializada em utensílios domésticos, que fica na rua Goitacazes, no centro de Belo Horizonte.

“A gente torce para que o movimento comece a aumentar a partir desta quinta-feira (hoje) porque todo mundo já vai ter recebido o salário. O período de venda do Dia das Mães, aqui, ainda não começou”, lamenta.

Comerciantes da avenida Paraná também estão pessimistas. E não só pelo panorama atual da economia, com altas taxas de juros e aumento da inflação. Eles não se recuperaram do impacto das obras do Move no local. “Antigamente tinha muito mais movimento de pessoas por aqui. Agora tem a estação, que fecha o acesso ao comércio”, reclama Samuel Ribeiro, gerente da tradicional loja de calçados Amigão, que fica perto da área de operação do BRT. “Houve uma queda de 40% a 60% no faturamento”, afirma. Já para o Dia das Mães, Samuel espera uma pequena reação até sábado. “O pessoal deixa mesmo para a última hora. É o que a gente espera, né?”, diz.

Salário. As compras devem mesmo acontecer às vésperas da data, segundo a economista da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), Ana Paula Bastos. “Com o recebimento do salário agora no quinto dia útil, as pessoas devem ir às compras. O perfil do consumidor é mesmo deixar para a última hora”, confirma ela.

Segundo pesquisa divulgada pela entidade no mês de abril, o consumidor vai comprar menos esse ano. Os presentes não vão sair por mais de R$ 50. No ano passado, a maioria das pessoas entrevistadas afirmou que gastaria, pelo menos, o dobro. “Apesar da queda no valor, os lojistas esperam um leve aquecimento nas vendas, já que no ano passado o faturamento foi 1,97% superior ao de 2012, ano em que houve redução e isenção do IPI em muitos artigos”, afirmou Ana Paula.

De acordo com a CDL, 49% dos lojistas entrevistados acreditam em aumento nas vendas, em relação ao ano passado. É o que observa a gerente da loja de calçados Arezzo do Itaú Power Shopping, Amanda Luiza Figueiredo Gualberto. “Desde domingo que as vendas aumentaram. Até sábado devem melhorar mais”, disse.

Público Aumento. O Itaú Power registrou aumento de 12% no público, na última sexta, em relação a 2013. Já o Pátio Savassi teve alta de 2%, comparando-se com mesmo período do ano passado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave