Guaynabo Mets volta de cabeça erguida para Porto Rico

Time caribenho se despede do Mundial com três derrotas, mas enaltece aprendizado na maior competição de clubes do mundo

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

As três derrotas em três jogos não desanimam o Guaynabo Mets, de Porto Rico, prestes a voltar para casa após sua primeira participação no Mundial de clubes. O time caribenho veio para Belo Horizonte para ganhar experiência e o objetivo foi cumprido, segundo o técnico Javier Gaspar.

“Volto satisfeito para casa por tudo que fizemos. Tivemos desfalques importantes e eles fizeram muita falta. Jogamos melhor as duas primeiras partidas, mas esta última, não entramos com tanta energia e dedicação. Isso nos faltou na terceira apresentação”, lamentou Gaspar, referindo-se ao jogo desta quarta-feira, contra o Matin Varamin, do Irã.

Depois de enfrentar os favoritos Sada Cruzeiro e Belogorie Belgorod, da Rússia, os Mets tinha, contra o Matin, uma chance de se despedir do torneio com uma vitória. Mas os asiáticos foram superiores, fato reconhecido pelo comandante de Porto Rico.

“O saque deles nos incomodou bastante, tivemos muitos problemas no passe. Pelo nosso lado, os serviços não os incomodaram e o levantador adversário teve tranquilidade durante toda a partida. Eles vieram mais bem dispostos e isso fez a diferença”, comentou Gaspar.

O central King garante que volta para casa com a certeza do dever cumprido. “Jogamos contra equipes de alto nível, as melhores do mundo. Foi um grande aprendizado, Chegaremos fortes para a disputa do torneio nacional, a partir de agosto”, projeta.

O meio-de-rede também acha que o time poderia render um pouco mais diante dos iranianos. “Não pensamos que terminaríamos o torneio assim. Mas levamos a certeza de que é preciso trabalhar duro e ter união para seguir nosso caminho. Esse foi um dos ensinamentos que levamos daqui”, afirmou.

Leia tudo sobre: voleiguaynabo metsporto ricocabeçaerguidacampanhamundial de clubes