Trentino bate UPCN no tie-break e se mantém vivo no Mundial

Equipe italiana saiu atrás no placar, mas conseguiu arrancar a virada para seguir com chances de classificação no grupo B do torneio

iG Minas Gerais | GABRIELA PEDROSO |

Um duelo de alto nível, digno de um Mundial de Clubes, capaz de empolgar os presentes na arquibancada e, até mesmo, deixar em dúvida aquele torcedor mais indeciso. Ofensividade, força, grandes bloqueios e belos ralis não faltaram no encontro entre Trentino e UPCN, nesta quarta-feira. O motivo para o equilíbrio, bem simples. Pelo lado italiano, a vitória significava a manutenção da chance de classificação, evitando uma eliminação precoce do tetracampeão mundial. Já para os argentinos, o triunfo, além de colocar o time nas semifinais, representaria a revanche pela derrota na disputa do terceiro lugar, na edição passada. E quem acabou se dando melhor nessa "briga" foi o supercampeão Trentino. Após 2h30 de jogo no ginásio do Mineirinho, os italianos confirmaram a vitória no tie-break, com parciais de 23/25, 25/23, 38/36, 22/25 e 15/11 e mantiveram vivas as chances de avançar à próxima fase. Antes mesmo de a bola rolar, era possível prever que o confronto entre as duas equipes não poderia ser diferente. O equílibro já havia sido a principal marca do duelo no último Mundial, quando houve uma vitória para cada uma das equipes. Na primeira fase, 3 sets a 2 para o UPCN, e, no jogo pelo bronze, 3 sets a 1 do Trentino. E a história acabou se repetindo. Logo no primeiro set, os dois times deixaram claro que não "venderiam" a derrota barato. Para cada ação, uma resposta à altura, como quando o oposto Théo bloqueou no pé do adversário logo após ver Lanza fazer o mesmo a favor do time de Trento. Cada ponto era fortemente disputado, e os times se alternaram várias vezes na frente no placar. O UPCN, porém, foi mais eficiente na etapa inicial e anotou 25 a 23. O Trentino sabia o risco que a parcial perdida representava para seus planos e voltou mais agressivo para a segunda etapa. O time italiano não desperdiçava as oportunidades que tinha e, apesar do equilíbrio imposto pelo UPCN, conseguiu devolver o placar ao rival. E para quem achava que os times poderiam diminuir o ritmo ao longo do duelo, nada disso. O terceiro set foi ainda mais disputado. Era lá e cá. Passados 40 minutos, enfim, um vencedor na parcial, o Trentino, que aplicou 38 a 36 nos sul-americanos. A quarta etapa não foi muito diferente das outras, mas o UPCN aproveitou um momento de distração dos italianos na hora da definição da parcial para deixar tudo igual no jogo: 2 sets a 2. Veio o temido tie-break, e a tensão era nítida entre os jogadores dos dois times. O UPCN começou melhor e saiu na frente, mas não manteve o rendimento. Os argentinos cometeram uma série de erros seguidos e o Trentino não perdoou a falha, fazendo  valer sua experiência para fechar o duelo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave