Renan marca para esta quarta abertura de CPI mista da Petrobras

Oposição e governo aumentam pressão em “cabo de guerra”

iG Minas Gerais |

Defesa. O presidente da Câmara, Henrique Alves, defendeu a CPI com participação dos deputados
JBatista/ag. Câmara/divulgação
Defesa. O presidente da Câmara, Henrique Alves, defendeu a CPI com participação dos deputados

Brasília. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), vai convocar sessão do Congresso Nacional nesta noite para instalar oficialmente a CPI mista da Petrobras, com deputados e senadores. Pressionado pelo PMDB, Renan decidiu viabilizar a CPI mista para investigar a estatal mesmo com a posição contrária do PT, que defende a comissão de inquérito exclusiva com senadores.

Nessa terça estava prevista uma reunião de Renan com os líderes das duas Casas para as indicações dos nomes para o colegiado investigativo, mas ela foi desmarcada. Segundo o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), líder do PMDB no Senado, as indicações serão feitas na própria sessão desta quarta, que antes estava prevista para o dia 20 de maio.

Na prática, a ação de Renan visou dar mais tempo para o governo tentar inviabilizar o início das investigações – já que a sessão do Congresso deve ser à noite, e as indicações devem ser concluídas apenas na semana que vem.

Sem conseguir evitar a investigação no Parlamento, o governo tenta inviabilizar a CPI mista e abrir uma comissão apenas do Senado, onde tem mais controle sobre a base. Dos 13 integrantes da CPI do Senado, apenas três são de indicação da oposição. Além disso, o número de membros é metade do previsto para a comissão mista, o que agiliza os trabalhos e permite ao governo acelerar o fim das investigações.

Nessa terça, o líder do PT, senador Humberto Costa (PE), disse que vai insistir na instalação da CPI exclusiva do Senado e que, se a oposição se negar a indicar os nomes para composição do colegiado, vai exigir que Renan os indique, já que a comissão está pronta para funcionar.

Do outro lado, líderes da oposição procuraram Renan nessa terça para pressionar pela instalação imediata da comissão mista. Eles acusam os governistas de “boicotarem” a instalação do colegiado. O presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), defendeu a CPI com participação dos deputados.

A comissão vai investigar suspeita de irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela Petrobras. À época, a presidente Dilma Rousseff estava à frente do conselho de administração da estatal e aprovou o negócio.

Preso. A ministra Regina Costa, do STJ, negou pedido de habeas corpus do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A operação apura suposto esquema de lavagem de dinheiro envolvendo doleiros e fornecedores da estatal.

PT indica Chinaglia para a vice-presidência Brasília. A bancada do PT na Câmara decidiu, nessa terça, indicar o nome do líder do governo Arlindo Chinaglia (PT-SP) à vice-presidência da Câmara, na vaga deixada pelo deputado licenciado André Vargas (sem partido-PR). Os integrantes da bancada do partido se reuniram para discutir a indicação e, no início da noite, iniciaram o processo de votação. Chinaglia recebeu 44 votos favoráveis ao seu nome, e o deputado Luiz Sérgio, 38. O deputado Paulo Teixeira (PT-SP), que também concorria ao cargo, retirou sua candidatura mais cedo em favor de Chinaglia. O plenário da Câmara ainda terá que aprovar a indicação do PT, em votação prevista para acontecer nesta quarta. O Palácio do Planalto participou ativamente das articulações nos bastidores.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave