Preso primeiro acusado de espancar Fabiane no Guarujá

Homem de 47 anos disse que bateu na dona de casa por achar que boato sobre sequestro era verdade

iG Minas Gerais |

Solidariedade.Parentes e amigos de Fabiane fizeram uma passeata em homenagem a ela após o enterro
Luiz Carlos Murauskas/Folhapress
Solidariedade.Parentes e amigos de Fabiane fizeram uma passeata em homenagem a ela após o enterro

SÃO PAULO. A Polícia Civil prendeu, na tarde desta terça, 6, um dos suspeitos de participar do linchamento da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, 33. O suspeito, Valmir Dias Barbosa, 47, foi detido depois de denúncias anônimas feitas por moradores do próprio bairro de Morrinhos, no Guarujá, litoral de São Paulo. A polícia pediu à Justiça a prisão preventiva de Barbosa por 30 dias.

Um dos investigadores disse que o suspeito, que é eletricista, teria confessado a participação no crime. “Eu também tenho filhos, doutor. Eu achei que era verdade (o fato de ela ser sequestradora)”, teria dito o suspeito segundo a polícia.

Amigos do suspeito que estão na frente da delegacia mostraram-se revoltados com apenas uma prisão. “Quer prender todo mundo? A culpa é de todo mundo! A culpa é de ninguém! A culpa é da internet!”, gritou o ajudante Jonas Tiago, 27.

A dona de casa Carla Rosane Cunha Viana, uma testemunha da agressão, que também esteve na delegacia, afirmou que o linchamento de Fabiane durou cerca de duas horas. A notícia de que a sequestradora de crianças que assombrava o Guarujá havia sido encontrada foi espalhada por mensagens de celular. “Apareceram umas 3.000 pessoas no Morrinhos”, disse a dona de casa.

O delegado Luiz Ricardo Lara Dias Junior, que conduz a investigação, ainda não confirmou se o suspeito detido será indiciado.

O dono da página “Guarujá Alerta”, que divulgou o boato que culminou na morte de Fabiane, prestou depoimento nesta terça. A polícia não divulgou o nome dele.

Segundo o advogado Diego Scarpa, seu cliente está sendo ameaçado. “São ataques injustos. Estão atacado ele de forma injusta. Em momento algum será comprovado que meu cliente postou ou incitou a população”, afirma. O advogado admite que o retrato falado e o boato sobre uma mulher que sequestrava crianças para rituais de magia negra foram publicados na página “Guarujá Alerta”.

O marido de Fabiane, Jaílson Alves das Neves, disse que não sente ódio dos suspeitos. “Para mim a ficha não caiu. Apesar da brutalidade, não guardo ódio, não guardo esse sentimento ruim no coração. Espero que não aconteça com mais famílias”, afirmou. Após o enterro de Fabiane, amigos e familiares realizaram uma passeata.

Assassinos rasgaram Bíblia com fotos das filhas SÃO PAULO. O cemitério Jardim da Paz, onde Fabiane Maria de Jesus, foi enterrada, em Guarujá, fica entre um lixão e um depósito de contêineres. Seu corpo foi depositado em uma gaveta nos fundos do cemitério, em lugar cercado de entulhos e insetos. Seu nome foi escrito com pregos no cimento fresco na gaveta por coveiros. Muito religiosa, segundo familiares e amigos que estiveram presentes, Fabiane morreu depois de ter ido buscar uma Bíblia na igreja São João Batista, também no Guarujá. Esse foi um dos principais assuntos discutido entre os familiares durante a cerimônia, que também se mostravam horrorizados com a “falta de amor no coração” por parte das pessoas que a espancaram até a morte depois de arrastá-la por vielas do bairro. Amigos contaram que Fabiane havia emprestado a Bíblia para uma amiga na quarta-feira passada. Fabiane recomendou a leitura de um salmo. No sábado, ela foi buscar o livro que havia ficado na igreja. Na volta para casa, a dona de casa parou em um supermercado, quando então foi atacada. A Bíblia, que tinha também uma foto das filhas dela, foi rasgada pelos assassinos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave