Bairro mais violento da cidade perde sede da PM

Moradores e comerciantes do centro ficaram assustados com a saída da 174ª Cia. para o 33º Batalhão, no bairro Angola

iG Minas Gerais | Dayse Resende |

Cadeiras e armários foram levados da 174ª Cia. da Polícia Militar na tarde de ontem
Moisés Silva
Cadeiras e armários foram levados da 174ª Cia. da Polícia Militar na tarde de ontem

Moradores e comerciantes do centro de Betim, na região metropolitana, estão temendo um aumento ainda maior da criminalidade na área, que já é a mais violenta da cidade. Isso porque ontem a 174ª Cia. foi retirada da rua Clóvis Salgado, onde funcionou por cerca de dez anos, e transferida para a atual sede da Polícia Militar, no bairro Angola.

A reportagem de O Tempo Betim flagrou, ontem, funcionários da prefeitura, que seria a responsável pelo pagamento do aluguel do imóvel da antiga sede, transportando a mobília.

Comerciantes que estão preocupados com um possível aumento da violência na região fizeram um abaixo-assinado pedindo a permanência da unidade no antigo endereço. O documento, segundo eles, deverá ser entregue ao prefeito Carlaile Pedrosa e ao comandante do 33° Batalhão, tenente-coronel Jair Pontes Neto.

“Desde que soubemos que a mudança iria acontecer, há 15 dias, o nosso sossego acabou, pois, com a companhia 174 funcionando no centro, os criminosos já não se intimidavam, imagina daqui para frente, com a unidade funcionando em outro bairro”, disse o comerciante Célio Amaral.

Uma vendedora, que pediu para não ser identificada, também tem medo. “Nos últimos anos, o estabelecimento onde trabalho já foi alvo de criminosos pelo menos cinco vezes. Agora, com certeza, vamos ter mais prejuízo, pois fecharemos mais cedo”.

Neste ano, comerciantes chegaram a colocar um outdoor reclamando da violência.

A prefeitura informou que a mudança não teve nenhuma participação do governo e que parte do efetivo da guarda irá trabalhar no local. 

Números da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) revelam que, somente entre janeiro e agosto de 2013, os bairros que registraram o maior número de crimes na região Central são o centro, com 1.924 ocorrências, seguido do Angola, com 507, e Brasileia, com 417.   A Polícia Militar revelou que o policiamento ostensivo será mantido na região Central.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave