Belogorie menospreza rival, encontra resistência, mas vence o Guaynabo

Equipe russa deixou a desejar em confronto com o time de Porto Rico, que foi o verdadeiro gigante na partida desta terça

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA e GABRIELA PEDROSO |

Principal atração dos curiosos que queriam conhecer a equipe russa, tida como a principal adversária do Sada Cruzeiro neste Mundial, o Belogorie Belgorod deixou claro no início do duelo com o Guaynabo Mets-PRI, que pretende fazer jus à fama conquistada. No entanto, o time acabou decepcionando os torcedores que esperavam um "massacre" sobre a equipe de Porto Rico. Cientes da superioridade tática e técnica que têm, os russos se mostraram desatentos no confronto. A postura acabou sendo um combustível para os porto-riquenhos, que foram para cima e ainda conseguiram um "set de honra" na derrota por 3 sets a 1 (25/17, 25/19, 22/25 e 25/19).

Apesar de menores em tamanho e em qualidade técnica, os "pequeninos" dos Mets se comportaram bem na partida, na qual foram os verdadeiros "gigantes".  Destaque para o levantador Irizarry, responsável por armar os ataques dos latinos, que conseguiam a proeza de passar pelo gigante bloqueio russo.

O confronto teve grandes momentos de equilíbrio, ao contrário da supremacia que era de se esperar do time europeu. O Belogorie investia nas bolas altas pelo meio com Grozer, Panteleymonenko e Muserskiy, e as opções dos Mets ficavam principalmente com Sanchez e Rivera, que na entrada e saída de rede, saltavam alto do chão, sem medo de apostarem nas diagonais.

Sem levar muito a sério o adversário, o técnico Shipulin colocava e tirava da quadra os titulares. Só nos momentos de mais pressão é que a equipe principal ficava completa em quadra. A "descontração" do treinador era tanta que, quando o time dominava o terceiro set, Shipulin se deu o luxo de dar as costas para o jogo e conversar com os atletas que estavam no banco. A resposta do Guaynabo veio na quadra, onde o time de Porto Rico conquistou um set que, para eles, teve o sabor de uma grande vitória.

Leia tudo sobre: mundial de clubesvoleibelogoriebelgorodguaynabometsvitoriamenospreza