Lavrador que esfaqueou ex-namorada diz não se lembrar de nada

Ele foi apresentado nessa segunda-feira e durante depoimento à polícia disse que a faca utilizada para cometer o crime era dele há algum tempo, mas as investigações deram conta que ele comprou a arma para tentar matar a mulher, o que comprova que ele premeditou o crime

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Karina perdeu 98% da visão após ser atingida por mais de 20 facadas
FACEBOOK / REPRODUÇÃO
Karina perdeu 98% da visão após ser atingida por mais de 20 facadas

O lavrador suspeito de tentar matar a ex-namorada a facadas em Alterosa, no Sul de Minas, foi apresentado na Delegacia de Alfenas nessa segunda-feira (6). A vítima, que já está em casa, perdeu o movimento de alguns dedos e parte da visão do olho direito. Os danos podem ser permanentes e ela ainda deverá passar por três cirurgias este ano.

Segundo o delegado Ismael Jeronimo Soares, o suspeito Felipe de Oliveira Paiva de Lima, 22, chegou a confessar o crime mas omitiu algumas informações. “Ele disse que no momento do crime ele não se lembra do que fez, nem quantas facadas deu na ex-namorada, e contou que já tinha a faca usada para esfaquear a menina, mas nós sabemos que ele comprou a arma para cometer o crime, ou seja, foi premeditado”, explicou o delegado.

A vítima Karina Gonçalves de Almeida, 22, foi perseguida por ele no dia 25 de março quando saía da ginástica na cidade de Alterosa, onde os dois moram. Ele estava de carro, um Fiat Strada, e a abordou quando ela andava na rua, a acompanhando de carro. Ele perguntou porque ela não atendia os telefonemas dele e ela disse que naquele momento era porque estava usando o telefone para falar com a mãe. Após isso ele parou o veículo no meio da rua e pegou um objeto no assoalho do carro.

Karine se assustou e passou a correr, mas em determinado momento, ela parou pensando que ele queria apenas o celular de volta, já que o aparelho que ela usava foi dado de presente quando eles namoravam. Ela entregou o celular e ele aproveitou para esfaqueá-la, direcionando as facadas diretamente nos olhos dela.

“Eles se relacionaram por cinco meses e desde que terminaram, há dois meses - porque ele era muito ciumento e tinha envolvimento com drogas, segundo ela - ele passou a ameaçá-la de morte dizendo que iria furar os olhos dela. Esse era o teor das ameaças, o que gerou até uma medida protetiva. O tempo todo ele tentou esfaquear os olhos dela, mas como ela tentava se esquivar, foi atingida também nas mãos, braços e cabeça. Só que chegou em um ponto que ela já estava bem enfraquecida por causa das facadas e parou de se defender. Foi quando ele puxou ela pela cabeça, introduziu a faca no meio da testa, entre os olhos e puxou a arma até o contorno dos olhos, terminando dentro do olho direito”, explicou o delegado.

O motivo da tentativa de assassinato era que Felipe não aceitava o fim do relacionamento e desde que terminou exigia que Karine devolvesse os presentes como o celular e um cheque que emprestou a ela. Após o crime ele ficou foragido até o dia 2 deste mês, quando foi detido em uma blitz na cidade de Araguari, também no Sul de Minas. Ele tentou se esquivar da blitz de trânsito e teve que mostrar a identificação aos policiais. Foi assim que eles levantaram o histórico do suspeito e descobriram que havia um mandado de prisão em aberto contra ele. Ele foi preso e levado para o presídio de Alfenas para a segurança dele, já que em Alterosa, houve uma comoção muito grande da população contra Felipe.

Ajuda

Felipe será indiciado por tentativa de homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, motivo torpe e meio cruel. A tia dele também será indicada pelos mesmos crimes, já que teria ajudado o sobrinho a encontrar a vítima. Foi ela que apontou onde Karine estaria no dia do crime, após descobrir por meio de um contato telefônico com a mãe da vítima, que inocentemente acabou informando o local. “A gente não sabe se a tia dele sabia que ele faria isso com Karine, mas a gente sabe que ela tinha conhecimento sim das ameaças de morte que o sobrinho vinha fazendo à vítima”, contou o delegado.

O estrago

Ainda de acordo com o delegado, não foi possível precisar quantas facadas a vítima levou porque o suspeito pode ter a esfaqueado diversas vezes nos mesmos ferimentos. “Mas os orifícios causados foram pelo menos 20. Ele deu tantas facadas em um dos braços, quando ela tentava proteger o olho, que a vítima perdeu o movimento de alguns dedos”, explicou.

Além disso, o olho direito de Karine teve a visão comprometida, mas ainda é cedo para saber se ela vai ficar totalmente cega deste olho, ou apenas parcialmente. A jovem já está em casa e deverá passar por pelo menos três cirurgias até o fim do ano. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave