Estado de saúde de menino baleado durante confronto no RJ é grave

A criança de 8 anos, foi atingida por um tiro na cabeça; ele passou por uma cirurgia na noite de segunda-feira que durou quatro horas e meia, no Hospital Federal do Andaraí

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O policiamento na região do Morro dos Macacos segue reforçado e intenso na manhã desta terça-feira (6), depois de tiroteios no final da tarde da última segunda-feira (5) entre policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do bairro, em Vila Isabel, e criminosos. No conflito, o menino Vitor Gomes Bento, de 8 anos, foi atingido por um tiro na cabeça.

Seu estado de saúde permanece grave, porém estável. Ele passou por uma cirurgia na noite de segunda-feira que durou quatro horas e meia, no Hospital Federal do Andaraí, onde permanece internado no Centro de Tratamento Intensivo da unidade.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), ocorreram dois tiroteios seguidos, em pontos diferentes da comunidade, na tarde desta segunda-feira. Por volta das 15h30, policiais da UPP dos Macacos estavam em patrulhamento na localidade conhecida como Favelinha quando se depararam com criminosos armados que atiraram contra os policiais, que revidaram. Os bandidos fugiram. Na fuga, já na localidade da Rachadura, os mesmos criminosos se depararam com outro grupo de policiais e houve novo confronto.

Segundo a CPP, em seguida, os policiais da UPP receberam a informação de que uma criança havia se ferido e sido encaminhada para o Hospital Federal do Andaraí. Ela foi socorrida por moradores.

O policiamento tem o reforço do efetivo de outras UPPs da região. Não há informações sobre prisões ou apreensões e o comércio local funciona normalmente. Um helicóptero da Polícia Militar percorreu a região mais cedo para verificar como estava a situação na comunidade. O clima era de aparente tranquilidade. 

A Secretaria Municipal de Educação informou que quatro escolas da rede pública de ensino e duas creches da prefeitura do Rio estão abertas, porém ninguém compareceu às aulas no entorno do Morro dos Macacos. No total, 1.838 crianças estão fora das salas de aula e sem atendimento nas creches.