Ex-Sada e UPCN, Suguinha analisa brasileiros e argentinos no Mundial

De férias, jogador estará no Mineirinho para prestigiar companheiros que fez durante a carreira, como o central Douglas Cordeiro e o líbero Serginho

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

Suguinha marcará presença no Mineirinho para prestigiar ex-companheiros de Sada e UPCN
Arquivo pessoal
Suguinha marcará presença no Mineirinho para prestigiar ex-companheiros de Sada e UPCN

O rodízio de atletas nos clubes de vôlei é uma prática bastante comum em todo o mundo, e por vezes os jogadores coloca os rivais de ex-clubes, principalmente em competições intercontinentais. No Mundial de Clubes, vários exemplos estarão presentes em quadra, mas a arquibancada também terá diversos personagens, como o brasileiro Rômulo Batista, conhecido como Suguinha. O jogador foi o primeiro atleta a ser contratado pelo Sada Betim, em 2006, já atuou no UPCN-ARG e atualmente tem contrato com o Shardari Zahedan-IRA, onde enfrentou o campeão asiático Matim Varamim na liga nacional.

De férias, Suguinha estará no Mineirinho para prestigiar companheiros que fez durante a carreira, como o central Douglas Cordeiro e o líbero Serginho, do clube estrelado, e ainda o oposto Theo, do UPCN. Em uma avaliação das duas equipes que já def, oendeus anfitriões são os mais cotados para o título, mesmo com toda a pressão dos europeus.

“Eu acredito que o Sada é um dos favoritos. Logicamente, sendo o defensor do título do ano passado, serão mais visados, mais estudados, e encontrarão maiores obstáculos neste próximo Mundial. Mas, uma equipe quando aprende a ser campeã, é porque trabalha com um objetivo sempre muito claro e o foco nunca é perdido. Uma equipe multicampeã como o Sada, com jogadores experientes, e que aprenderam a gostar de serem campeões, é sempre muito difícil de derrotar”, analisa ele.

No entanto, o caminho celeste não será fácil, já que o UPCN, por exemplo, venceu o campeonato argentino e virá com grande força. A equipe hermana está num grupo diferente do Sada, e os dois podem se encontrar já nas semifinais. De acordo com Suguinha, o clube argentino manteve seus pilares, além de uma boa comissão técnica, e por isso tem boas chances de chegar à segunda fase.

“Desde que saí de lá mudou o plantel quase todo, porém, a base da equipe titular, que na minha opinião sempre foram os pilares, permanecem. A comissão técnica também se mantém a mesma, e como no Sada, uma comissão técnica só se mantém por muitos anos em uma equipe se for competente. O treinador tem como característica incutir uma mentalidade vencedora nos atletas, e desempenha muito bem o papel de motivador do grupo. É uma equipe muito entrosada. Eu apostaria que o UPCN será um dos quatro semifinalistas”, explica o ponteiro brasileiro.

Leia tudo sobre: Mundial de VôleiUPCNSada CruzeiroSunguinha