Preço de imóvel perde para a inflação

Pesquisa revela que preço do metro quadrado caiu 0,5%

iG Minas Gerais |

SÃO PAULO. Depois do boom de preços dos últimos anos, o mercado imobiliário começou a se ajustar, influenciado pelo menor ritmo de crescimento da economia e um certo esgotamento da demanda reprimida pela casa própria. Tanto as cotações do metro quadrado de imóveis usados como os de lançamentos estão subindo menos do que a inflação.

Pesquisa da FipeZap revela que, de janeiro a abril, o preço do metro quadrado do imóvel pronto – a maioria usado – caiu 0,5% em média, descontada a inflação do período projetada em 2,99%, segundo a inflação oficial (IPCA). Em 14 das 16 cidades pesquisadas, os preços não acompanharam a inflação.

A maior queda de preço entre janeiro e abril ocorreu em Porto Alegre (-4,5%), seguida por Brasília (-3,1%) e Curitiba (-2,6%). Só escaparam dessa tendência Rio de Janeiro e Fortaleza, mesmo assim com pequenos aumentos reais de preços, de 1% e 1,1%, respectivamente.

“Não se trata de um movimento brusco de correção. É um ajuste que vem sendo observado nos últimos meses”, diz o coordenador do Índice FipeZap de Preços dos Imóveis, Eduardo Zylberstajn. Pelo quinto mês seguido, por exemplo, a variação de preço do metro quadrado é decrescente, aponta a pesquisa.

Além disso, Zylberstajn destaca que não para de subir o número de cidades que registram variações de preços do metro quadrado de imóveis prontos abaixo da inflação do mês.

Em janeiro, das 16 cidades pesquisadas, 6 estavam nessa condição. Em fevereiro, esse número subiu para 9, em março para 12 e em abril chegou a 15. Em abril, só em Fortaleza o preço do metro quadrado superou a inflação. A alta foi de 1,38%, ante uma inflação projetada em 0,8% para o mês.

Ajustes

Preços. Especialistas apontam algumas explicações. Esse ajuste nos preços indica que a demanda reprimida por imóveis foi satisfeita e o crescimento do mercado daqui para frente será orgânico.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave