Ministério Público pede anulação de ato que permite reajuste da tarifa

Ação proposta nesta segunda-feira pede também a manutenção e a renovação da liminar que suspendeu o aumento nas passagens de ônibus, no início de abril

iG Minas Gerais | Da redação |

Na tarde desta segunda-feira coletivos voltaram a cobrar R$ 2,65 pela pasagem
Webréporter
Na tarde desta segunda-feira coletivos voltaram a cobrar R$ 2,65 pela pasagem

O Ministério Público de Minas Gerais propôs uma ação civil pública nesta segunda-feira (5), pedindo a anulação do ato administrativo que autoriza o reajuste das passagens de ônibus em Belo Horizonte, tendo como base o relatório feito pela empresa Ernst & Young. Segundo o documento, o órgão pede também a manutenção e a renovação da decisão liminar que suspendeu o aumento das tarifas no início do mês de abril.

A ação pede, ainda, que os consórcios sejam condenados a enviar relatórios e dados de custos, receitas e resultados contábeis à BHTrans, que por sua vez, deve realizar auditoria nas contas e registros de todas as concessionárias.

Aguarde mais informações.

Leia tudo sobre: tarifa de ônibussuspendeaçãoministério público