Protesto por morte de aluno atropelado fecha avenida Antonio Carlos

Jovem de 24 anos morreu ao ser atropelado por uma van ao sair da aula, no último dia 31 de abril

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Raphael, de 24 anos, era aluno da Faculdade de Artes Cênicas da UFMG
Reprodução/Facebook
Raphael, de 24 anos, era aluno da Faculdade de Artes Cênicas da UFMG

Alunos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) fecharam, no início da noite desta segunda-feira (5), o trânsito da avenida Antônio Carlos, em frente à universidade, para protestar por conta da morte de um aluno, atropelado ao sair da aula na última quarta-feira, dia 31 de abril. 

Conforme as informações, a paralisação teve início às 18h. Os alunos fizeram um cordão no local onde o Raphael Santos Rocha, de 24 anos, foi atropelado. A organização do protesto afirmou que o trânsito na avenida seria paralisado por 24 minutos, simbolizando a idade com que o jovem perdeu a vida. 

Ainda segundo o Diretório Central Acadêmico (DCE) da universidade, a manifestação acontece para não deixar a morte passar em vão, uma vez que houve uma mudança no trânsito do local e não foi colocada nenhuma faixa para alertar os pedestres. Além disso, no horário de saída da aula noturna, os semáforos da avenida estão desligados, o que dificulta a travessia dos alunos. 

Os estudantes fizeram uma espécie de sarau, com leitura de poesias, em homenagem à Rocha. Conforme as informações da BHTrans, uma equipe ainda tenta chegar ao local do protesto, porém, por acontecer no auge do horário de pico, certamente os reflexos no trânsito da avenida foram enormes.

Segundo uma leitora de O TEMPO, os manifestantes fecharam o trânsito por 24 minutos no sentido Centro e em seguida voltaram a fechar o sentido bairro da avenida. "Está tudo parado! No dia-a-dia o trânsito já é ruim neste horário, com o protesto nem se fala", afirma a leitora, que preferiu não ser identificada.

Leia tudo sobre: protestoufmgantonio carlosatropeladoacidentealunos