Grupo extremista captura mais de 270 crianças na Nigéria

Abubakar Shekay, líder da organização que islâmica, afirmou que irá vender todas as meninas no mercado de escravidão sexual da África

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O líder do grupo extremista islâmico Boko Haram, que atua na Nigéria, anunciou que capturou mais de 270 meninas e que irá vendê-las no mercado de escravas sexuais no continente. 

"Eu capturei suas garotas", disse Abubakar Shekay, líder do grupo, em um vídeo reproduzido pela imprensa nigeriana. "Por Alá, eu irei vender as garotas no mercado. Eu vou vendê-las e casá-las. Há um mercado grande para isso", disse.

"Mulheres são escravas. Eu quero garantir aos meus irmãos muçulmanos que Alá afirma que escravos são permitidos pelo Islã", ele afirmou, ao fazer uma clara referência à antiga tradição de escravizar mulheres capturadas durante uma guerra. O grupo se comunica através da linguagem Husa, do norte do país.

Abubakar ainda alertou à comunidade internacional para que não se envolvam na situação. Ele chegou a chamar a educação ocidental como um "atentado contra o Islamismo" e pediu para que seus seguidores e simpatizantes perseguissem e matassem estudantes e professores. 

Pelo menos 300 adolescentes foram capturadas em uma ofensiva do grupo na cidade de Chibok, no nordeste do Estado de Borno.

O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, não havia comentado a situação, mas foi forçado a realizar ações de busca depois que grandes protestos explodiram pelas cidades do país. 

O grupo Boko Haram luta pela criação de um Estado Islâmico no norte da Nigéria. Essa é a ação com maior impacto já realizada por eles.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave