Putin promulga lei que proíbe o uso de palavras que 'soam mal'

Ato determina o uso proibido de palavras palavrões e expressões que denigrem autoridades em programas de televisão, jornais, peças teatrais, livros, obras de arte e filmes

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O presidente russo Vladimir Putin voltou a causar polêmica por conta de seu conservadorismo. Nesta segunda-feira (5), ele promulgou uma lei que determina o fim e uso proibido de palavras que 'soam mal' em programas de televisão, jornais, peças teatrais, livros, obras de arte e filmes. 

A nova lei entra em vigor no primeiro dia de junho e promete multar pessoas físicas em valores que variam de 2 mil a 2.500 rublos (cerca de R$ 125 e R$ 150). Para pessoas jurídicas, o valor varia entre 40 mil a 50 mil rublos (de R$ 2.500 a $ 3 mil).

Segundo o texto oficial da lei, profissionais de letras e filólogos serão responsáveis para determinar se palavras e expressões usadas são motivos de punição. 

Pelo abuso dos palavrões em suas informações, as autoridades retiraram no ano passado a licença da agência de notícias "Rosbalt", embora os opositores tenham considerado uma manobra política para silenciar uma publicação crítica ao Kremlin.

De acordo com o presidente, as palavras que 'soam mal' são palavrões, ofensas e expressões que denigrem a imagem de autoridades.

Há um ano Putin já havia promulgado uma lei contra o uso das palavras obscenas nos veículos impressos e audiovisuais.

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave