Assassinato de missionário espanhol é esclarecido 2 anos depois

Estelionatário matou o espanhol após extorquir R$ 40 mil dele; vítima teria sido agredida, jogada em uma vala e incendiada ainda com vida

iG Minas Gerais | JULIANA BAETA |

Somente após cerca de dois anos de investigações é que o crime envolvendo o missionário espanhol que teve o corpo encontrado carbonizado dentro de uma vala em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi esclarecido. O suspeito foi apresentado na manhã desta segunda-feira (5) pela Polícia Civil.

Segundo o delegado Jonas Tomazi, que esteve a frente das investigações, a vítima Jorge Rodrigues Marco, 47, veio para o Brasil em maio de 2010 como missionário religioso da Igreja Adventista do 7º Dia, após conhecer uma mulher pela internet. Ele conseguiu renovar o visto, que vencia em agosto do mesmo ano, para novembro, totalizando então cerca de seis meses de estadia no país.

No tempo em que ficou aqui, ele conheceu outras pessoas, inclusive, outras mulheres, se apaixonando por uma delas. Mesmo com o visto expirado ele continuou no país buscando formas de continuar morando aqui. Foi então que conheceu Henrique Gomes Tavares, quando foi pregar na casa da sogra dele.

Henrique já estava sendo investigado por estelionato e ofereceu seus “serviços” para o espanhol. Ele dizia que iria ajudar o missionário a regularizar a sua situação no Brasil e desde então, passou a extorqui-lo. Arrumava documentos falsos para Jorge e, sempre que ia entregá-los, exigia uma quantia em dinheiro.

O espanhol usava os documentos providenciados pelo suspeito, mas queria uma solução definitiva e legal para continuar no país. Desde que vítima e suspeito se conheceram, no fim de 2010, até meados de 2011, pouco antes de o crime acontecer, Henrique tinha conseguido tirar R$ 40 mil de Jorge. 

Foi quando o missionário percebeu que estava levando um golpe e passou a reclamar.

O crime

Após perceber que não ia conseguir tirar mais dinheiro de Jorge, Henrique decidiu matá-lo, se aproveitando da falta de família e amigos no Brasil. As investigações deram conta de que o espanhol foi queimado vivo, após ser agredido e jogado em uma vala em Confis. Era dele o corpo encontrado carbonizado em setembro de 2011.

Paralelamente ao encontro do corpo, Henrique continuava sendo investigado por estelionato, até que funcionários de um hotel no centro da capital o denunciaram por aplicar golpes no estabelecimento. Eles também informaram que Henrique e Jorge já estiveram ali. Dentre muitos hotéis que o espanhol ficou hospedado em sua estadia em Belo Horizonte, este, foi um deles, indicado pelo próprio Henrique.

A polícia relacionou  os fatos e após um exame de DNA ficou comprovado que o corpo encontrado carbonizado era mesmo do missionário.

Após isso, começou o trabalho da polícia para reunir provas e documentos e encontrar Henrique. Ele foi preso no dia 7 de março deste ano, e continua negando o crime.

Henrique foi indiciado por homicídio, ocultação de cadáver, estelionato e falsificação de documentos públicos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave