Médico se recusa a assumir plantão em UPA por não ter experiência

Profissional acionou a polícia e registrou boletim de ocorrência afirmando que não tinha condições de atender pacientes em estado grave

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Quem procurou atendimento, nesse domingo (4), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ressaca, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, teve uma surpresa desagradável ao descobrir que um médico de 35 anos se recusou a assumir plantão por ser recém-formado e não ter experiência em casos graves.

O profissional da saúde acionou a Polícia Militar e registou um boletim de ocorrência. Nele, o médico informou que não poderia assumir o turno de trabalho sozinho e deveria ter acompanhamento de outro colega de profissão.

Ainda na versão dele, ele estava acostumado a pegar casos menos graves, enquanto os mais complexos era de responsabilidade de um médico mais experiente. O clínico geral também afirmou que era um risco, tanto para ele como para os doentes, realizar os atendimentos.

Os policiais também fizeram contato com a supervisora de enfermagem. Ela disse aos militares que não tinha como se responsabilizar pela unidade.

A reportagem de O TEMPO fez contato com a Secretaria de Saúde de Contagem, que já está ciente do caso, e ficou de informar quais providências foram tomadas com os pacientes nesse domingo e quais serão os procedimentos que serão tomados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave