Prefeitura mantém proposta e pede atendimento mínimo

iG Minas Gerais |

A Prefeitura de Betim afirmou ontem, em nota, que orientou o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde) e os seus servidores a manterem as equipes de urgência e emergência em funcionamento para que os pacientes não fiquem sem atendimento durante a paralisação.

No texto, o Executivo ressaltou que, durante a última reunião de negociações, no dia 30 de abril, o índice de 7% e o parcelamento do valor foram mantidos.

Na cidade, os trabalhadores do setor da educação também estão em greve desde o dia 15 do mês passado. A categoria reivindica um reajuste salarial de 34% e isonomia na remuneração. Estima-se que cerca de 30 mil alunos de Betim estejam sem aulas em função da paralisação dos servidores. (RS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave