Entre infratores, 45% não estudam

iG Minas Gerais |

Um relatório divulgado pelo Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA-BH) demonstrou que, dos 1.139 jovens infratores entrevistados em 2013, 45% não frequentavam a escola. Dentre aqueles que estudavam, 99,9% iam a escolas públicas. A reportagem conversou, na última semana, com um jovem infrator de 17 anos que, após uma audiência judicial, tentava assinar, com dificuldade, seu nome em letras de forma. “O nome completo eu não sei escrever. Fui até a quinta série, mas não aprendi direito”, diz. Ele será internado por reincidência em furto violento e, pela primeira vez, foi algemado. “Quero sair do crime e trabalhar como ajudante de pintor”, conta. Para isso, ele precisará concluir o ensino fundamental, realidade que considera bastante distante. Nenhum parente o acompanhou na audiência. Outro jovem, de 16 anos, que nem completou a 4ª série, diz que, se pudesse escolher, seria advogado. “Mas acho que vai ser difícil”, avalia. Ele foi pego em flagrante, pela segunda vez, numa tentativa de assalto à mão armada utilizando um carro roubado, com um grupo de amigos. “Na última, rolou tiro com a polícia e um colega morreu”, afirma. A mãe do jovem acompanhou a audiência. Solteira, ela tem outros oito filhos – um deles preso por tráfico de drogas – e está desempregada. “Infelizmente, meus filhos cresceram sozinhos, pois sempre trabalhei fora”. (PVP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave