Servidor é contra apuração de faltas a cargo da corregedoria

iG Minas Gerais |

Uma das maiores preocupações dos servidores em relação ao PLC 62 é a proposta de que as falhas de servidores passem a ser investigadas e punidas pela corregedoria do órgão. Hoje, a apuração é feita por uma comissão.

O coordenador geral do Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Minas, Eduardo Maia, diz que a categoria não é contra investigações. “Estaremos atentos a qualquer abuso. Não somos de imediato contra, mas já temos o estatuto do servidor que diz sobre apuração de faltas”, afirmou.

O corregedor geral Carlos Bittencourt garante que não há o que temer. “Estamos criando marcos que evitam prescrição das penas. O atual modelo é comprovadamente ineficiente. O rigor vai aumentar, mas a apuração será isenta e justa”, afirmou. (TT)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave