Trentino está de volta

iG Minas Gerais |

FIVB/Divulgação
undefined

A medalha de bronze conquistada na última edição do Mundial já foi um grande feito para o Diatec Trentino, convidado de honra para a competição deste ano. Em 2013, o time italiano chegou ao Brasil com a base renovada e bastante modificada em relação àquela que obteve quatro títulos mundiais. Agora, após uma longa temporada para criar entrosamento, o Trentino também traz como trunfo o fato de ter menos problemas de lesões.

“Vamos ao Brasil para conquistar o melhor resultado. Sabemos que o campeonato será mais difícil do que da última vez, mas, para nós, é importante para mudar o final ruim de temporada. Na maior parte deste ano, tivemos problemas físicos, e agora tudo está bem. Queremos outra medalha para nossa equipe”, explicou o ponteiro Filippo Lanza.

Os italianos, comandados pelo técnico Roberto Serniotti, apostam no sucesso de Lanza, do português Alexandre Ferreira e do búlgaro Tsvetan Sokolov, destaques durante a disputa da Liga dos Campeões da Europa, para atingir um resultado ainda melhor neste ano. Curiosamente, na competição europeia, o grupo foi eliminado nas quartas de final justamente pelos atuais campeões, o Belogorie Belgorod, da Rússia, e terminou em quinto lugar.

Um possível reencontro entre os dois times, aliás, anima os jogadores do Trentino. “Para nós, será uma boa chance de fazer uma revanche com o Belgorod”, destacou Lanza. E para se superar na temporada, o clube europeu espera repetir ao menos o sucesso com a torcida na última edição, disputada em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Na ocasião, o Trentino se tornou uma espécie de “segundo time” da torcida brasileira.

A promessa

O jovem Filippo Lanza é uma das promessas da Itália. Aos 23 anos, o atleta já é presença certa na seleção nacional e foi o terceiro maior pontuador do Trentino na disputa da Liga dos Campeões, com 97 marcações. Criado nas bases da própria equipe, Lanza passou a ser mais acionado quando a equipe precisou suprir a ausência de Matey Kaziyski, que se transferiu para o turco Halbank na temporada 2013. E o jogador tem dado conta do recado. Com a equipe principal da Itália, Lanza já foi bronze na última Liga Mundial e medalha de prata no campeonato europeu em 2013. No Brasil, no último ano, fez grandes jogos e ganhou torcida própria dentro do ginásio Divino Braga. Filippo busca inspiração para seguir sua carreira em um ídolo bastante conhecido no Brasil: Giba. O atleta italiano diz se espelhar nos jogadores que trabalham mais as habilidades técnicas do que as físicas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave