Minientrevista

Giovanni Foppa - Preparador físico Dínamo Krasnodar

iG Minas Gerais |

FIVB/Divulgação
undefined

Com passagens pelo voleibol brasileiro e russo, o preparador físico do Dínamo Krasnodar (RUS), Giovanni Foppa, analisa o Belogorie Belgorod e indica pontos fortes e fracos do time que o Sada Cruzeiro pode ter pela frente ao longo do Mundial de Clubes. Foppa é considerado um dos preparadores físicos mais competentes no mundo do vôlei. Seu currículo vitorioso deixa clara a contribuição que ele teve em importantes equipes do globo. Uma de suas maiores conquistas foi a Champions League, pelo Zenit Kazan-RUS, onde trabalhou nas temporadas 2006/2007 e 2007/2008. De lá, Foppa foi para a Polônia, onde ajudou o Belchatow a chegar na segunda posição na Champions League e também no Mundial. Sua volta ao Brasil teve o Sada Cruzeiro como destino, onde ele foi campeão da Superliga 2011/2012. Depois, Foppa voltou para o russo Dínamo Krasnodar.

Com quem do Belogorie você se recorda já ter trabalhado?

Tive o prazer de ter trabalho com Sergey Tetyukhin, Alexander Bogomolov e Alexander Kosarev. Junto com esses três jogadores, conquistei três dos grandes títulos da minha carreira: campeão Russo 2006/2007, campeão da Copa Russa 2007 e campeão da Champions League 2008.

Quais são os pontos fortes do time, e quais os pontos fracos que podem ser explorados pelo adversário?

A equipe Belogorie Belgorod é um time que tem um poder de saque muito grande. Time que conta com individualidades muito fortes, como Tetyukhin, Muzerskiy e Grozer, além de um ótimo levantador. É um time que tem disputado várias finais nos últimos anos. É o atual campeão Russo, campeão da Copa Russa e campeão da Champions League. Acredito que a rodada de bola é fundamental para jogar contra essa equipe. E ter a maturidade e tranquilidade de trabalhar quando o saque do Belogorie entrar, pois terão vários momentos nos quais isso poderá acontecer.

Tetyukhin está nos últimos momentos de sua carreira. vê-lo no Mundial será uma oportunidade única para os fãs do vôlei?

Esse atleta é uma das lendas do voleibol russo, um profissional de uma dedicação imensa, que merece todos os títulos que possui na carreira. Acho que, para o torcedor brasileiro, ver um atleta desses jogando por seu clube e não somente na seleção é um motivo de muita alegria. Tenho certeza de que o público irá valorizar toda essa história e será agraciado por um jogador que, mesmo aos quase 40 anos, irá deixar em quadra toda essa qualidade e dedicação ao voleibol.

Sua torcida será por quem?

Como brasileiro torço para o Sada. É um representante do Brasil e onde também tenho grandes amigos. Tenho um carinho muito grande por essa equipe, na qual também conquistei títulos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave