Sada Cruzeiro chega forte para o bi

iG Minas Gerais |

Joao Godinho/ O Tempo
undefined

Na temporada 2013/2014, o time brasileiro venceu tudo o que disputou: o Mundial de Clubes, o Sul-Americano, a Superliga, a Copa Brasil e o Campeonato Mineiro.

Que o Sada Cruzeiro é o atual papa-títulos do Brasil, não resta nenhuma dúvida. Não bastasse ter chegado em 15 finais de 15 competições que disputou, o elenco faturou nada mais, nada menos do que 12 taças e agora vai, mais forte do que nunca, buscar mais um título para a coleção: o do bicampeonato no Mundial de Clubes.

Na bagagem, o aprendizado com a participação em dois mundiais pode fazer a diferença. “Já termos jogado essa competição várias vezes é importante para todo mundo. São times que jogam melhor do que qualquer seleção. Competir nesse nível dá uma bagagem muito grande”, afirma o técnico do Sada Cruzeiro, Marcelo Mendez.

Na primeira experiência do grupo em mundiais, os cruzeirenses foram a surpresa do campeonato por terem ficado com o vice, em Doha (QAT). Já na segunda vez, o time da casa apostava na torcida a favor, mas enfrentava a concorrência dos italianos do Trentino e dos russos do Lokomotiv Novosibirsk. Alheio ao favoritismo, o clube mostrou a vontade de ser o primeiro brasileiro a ter o título internacional logo no início. Venceu os dois primeiros jogos, mas caiu diante do Lokomotiv ainda na fase de classificação. Mas a chance de dar o troco viria na decisão, quando os celestes impuseram seu padrão de jogo e atropelaram os russos.

Não há nenhuma fórmula mágica que explique o sucesso do Sada Cruzeiro, porém, manter a base do Mundial 2013 certamente foi uma boa decisão. As opções no banco aumentaram e também podem ser uma boa para Mendez. “Mantivemos uma base e isso é muito importante. Tenho certeza que é um detalhe que vai pesar a nosso favor. Muitas vezes, os jogadores se conhecem e sabem o que o outro vai fazer só de olhar”, contou o oposto celeste Wallace.

O mago das quadras

O habilidoso capitão celeste vai para sua quinta temporada vestindo as cores do Sada Cruzeiro e é titular incontestável. Querido pela torcida, William ganhou ainda mais confiança no time mineiro, amadureceu e mostra em quadra toda a sua experiência para criar uma maneira mais eficiente de orquestrar ataques e contra-ataques. E a estratégia tem dado certo. El Mago, como também é conhecido, faz o papel de um verdadeiro maestro no time, invertendo as jogadas da entrada de rede para a saída, para o meio, ou onde for mais complicado para a equipe adversária marcar. Aos 34 anos, William se tornou presença garantida na seleção brasileira e conquistou ouro no Sul-Americano e prata na última Liga Mundial. O jogador se orgulha em dizer que tem a família como inspiração: retribui o carinho do falecido pai exibindo um bigode em todas as finais que participa, e se derrete pela pequena Nina, sua primeira filha de apenas sete meses. Ponto forte: atento à marcação dos bloqueios para distribuir a bola da forma mais eficiente “Acho difícil aparecer um time como o nosso e espero continuar mantendo esse ciclo vitorioso”

Talentos individuais na área

Um fato que pesa a favor do Sada Cruzeiro é também a boa fase dos atletas individualmente. Muitos deles se destacaram entre os primeiros nos fundamentos da última Superliga. O ataque, arma forte dos celestes, tem o ponteiro cubano Leal e o oposto Wallace no topo do ranking; os centrais Éder e Isac figuram entre os melhores bloqueadores; William é o levantador mais eficiente e o ponteiro Filipe está na lista de melhores na recepção. De todos os citados e com exceção do cubano, apenas Filipe ainda não foi convocado para defender a seleção brasileira. Éder e Wallace ainda aparecem como destaques no quesito saque. Mesmo com poucos números para comprovar, quem está no banco também tem dado conta do recado. Nas partidas em que Leal não atuou no campeonato nacional, o venezuelano Diaz foi acionado e teve desempenho semelhante. No meio-de-rede, Douglas Cordeiro revezou com Isac por diversas vezes e tem a experiência a seu favor. Paulo Vinícius (PV), reserva de Wallace, também aparece bem quando acionado por Mendez. No levantamento, as opções são ainda maiores. Além do experiente William, o Sada já pode contar com Vinhedo, que havia se lesionado no início do ano, e ainda com o jovem Salim, uma das surpresas da temporada. Qualidade de cada um dos jogadores, reunidas, fazem do Sada Cruzeiro um grupo muito forte

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave