Técnicos do Mundial ressaltam orgulho e dificuldades do torneio

Edição 2014 do campeonato foi oficialmente aberta em conferência realizada nesta noite; BH sedia disputa pela segunda vez

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

O Mundial de Clubes de Vôlei Masculino deste ano começa nesta segunda-feira, em Belo Horizonte e, na noite deste domingo, os técnicos das equipes participantes concederam entrevistas coletivas no Hotel Mercure, onde todas as delegações (exceto o anfitrião Sada Cruzeiro, estão hospedadas). As falas dos oitos técnicos ficaram em cima de duas questões: a honra de estarem no Mundial e a dificuldade que é vencer o torneio.

Destes discursos adotados pelos comandantes, é possível separar as equipes mais fortes do torneio. Marcelo Mendez, técnico do Sada Cruzeiro, por exemplo, disse que o torneio está mais complicado que em 2013, além de ressaltar o obstáculo que será atuar sem o ponteiro Leal, que está lesionado no tornozelo direito.

"Teremos que enfrentar bons times e bons treinadores, estamos na terceira edição deste torneio e queremos continuar com o bom trabalho feito no time", afirmou Mendez.

Entre os times que vieram com franco-atiradores, estão os portorriquenhos do Guaynabo Mets, que acreditam em um aprendizado enorme enfrentado o primeiro esquadrão do vôlei mundial. Há também os tunisianos do Esperance Tunis, que querem mostrar a força do esporte na África.

O Sada terá fortes concorrentes e o técnico do Belgorie Belgorod, o russo Gennady Shipulin, foi categórico ao dizer que "no nosso país, só o primeiro lugar significa algo".

Atual tetracampeão do Mundial de Vôlei, o Trentino foi convidado para participar desta edição em Belo Horizonte, mas os italianos sabem que a camisa pode pesar no torneio. Com jovens jogadores, o técnico Roberto Serniotti quer pelo menos chegar às semifinais do torneio.

Abertura oficial do torneio. Antes das coletivas dos treinadores, a sala de conferência do Hotel sediou a abertura oficial do Mundial de Clubes e questões técnicas foram tratadas por diversas autoridades, como o chefe da arbitragem, Jacek Spisak e Rafael Lloreda, representante da Federação Internacional de Vôlei.

Responsável por dar as boas vindas para as delegações, o vice-presidente do Sada Cruzeiro, Alberto Medioli, agradeceu o apoio da Prefeitura de Belo Horizonte e do Governo de Minas por acreditar na capacidade de sediarem o Mundial de Clubes deste ano.

"As autoridades deram total apoio e ficaram extremamente satisfeitos com o resultado obtido no ano passado. Motivo pelo qual eles decidiram nos dar mais uma vez a confiança", afirmou Medioli, que também destacou a vontade de realizar um evento melhor que o de 2013:

"Temos uma certa experiência e queremos melhorar pequenos erros que foram cometidos ano passado. Tenho absoluta certeza de conseguir mais um sucesso. Tenham certeza que, por nossa parte, e pelo comitê organizacional, vamos colocar toda a força para que este evento seja mais uma vez um sucesso", completou.

Leia tudo sobre: MUDNIAL DE VOLEI 2014voleimundialcoletivasada