TCU aponta erros em térmicas

iG Minas Gerais |

RIO de Janeiro. As condições desfavoráveis do contrato de compra da refinaria americana de Pasadena pela Petrobras guardam muitas semelhanças com as de outro negócio conduzido por Nestor Cerveró, ex-diretor internacional da estatal, que também terminou em prejuízo. Cinco anos antes de negociar Pasadena com a belga Astra Oil, Cerveró esteve à frente da participação da estatal em consórcios para a construção de três usinas termelétricas.

Os contratos mostram erros parecidos com os cometidos depois na aquisição da refinaria: exposição a riscos, garantia de remuneração aos parceiros, omissão de documentos e um litígio que terminou com a compra de100% das usinas a um custo de R$ 4 bilhões, bem mais do que valiam.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave