Sada Cruzeiro vê Mundial de Clubes mais difícil neste ano

Vindo de cinco títulos em seis disputados, time mineiro quer o bi mundial, mas sabe que não terá vida fácil no torneio

iG Minas Gerais | DIEGO COSTA |

Sada Cruzeiro jogará dentro de casa por ter feito melhor campanha
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
Sada Cruzeiro jogará dentro de casa por ter feito melhor campanha

Se no ano passado, a conquista do primeiro título mundial foi difícil, neste ano, o caminho que leva ao bicampeonato é considerado ainda mais complicado ainda pelos atletas do Sada.

No Grupo A da competição, a equipe mineira vai enfrentar o Mets, de Porto Rico, o Matin Varamin, do Irã, e o forte Belgorie, da Rússia. Na outra chave, o UPCN, da Argentina, o Trentino, da Itália, além de Al Rayyan, do Cathar, e o Esperance Tunis, da Tunísia, compõem o quadro de postulantes ao troféu.

O oposto Wallace acredita que o time está pronto para superar as dificuldades da disputa.

"O time já está preparado. Agora é fazer boas partidas. Esse mundial, com certeza, está mais complicado do que o do ano passado. Tem mais times fortes aí. No ano passado já era. Neste ano está mais. As equipes ficam mais fortes. E conquistar este título seria importante", disse Wallace.

Sobre o principal adversário da primeira fase, os russos do Belgorie, ele prefere pensar no adversário após os dois primeiros jogos da chave, contra iranianos e portorriquenhos.

"A gente tem que ir por passo. Não adianta ficar pensando no time deles. É o último adversário da chave. Temos que ganhar dos dois times primeiro. A gente sabe dos jogadores que tem lá, com qualidade também, mas vamos passo a passo", destacou o oposto brasileiro.

O pensamento é o mesmo do técnico Marcelo Mendez. O treinador avalia os adversários da competição e afirma que também espera muito trabalho.

"Eu acho que o Mundial está muito forte. O time russo é muito bom. Jogadores da seleção russa atual, ex-jogadores da seleção, estrangeiros, levantadores da seleção italiana, oposto da seleção alemã, um dos melhores do mundo. Então, já falamos de muitos jogadores da seleção. O time do Irã, o Varamin, também é muito bom", concluiu.  

Leia tudo sobre: sada cruzeiroraposavoleiMUNDIAL DE VOLEI 2014wallace