DBZ cresce com inovação do elasfit nas roupas da empresa

De uma produção caseira, mineira faz moda feminina vender 250 mil peças por ano

iG Minas Gerais | Helenice Laguardia |

As calças com cós em elasfit que, de acordo com Pollyanna Buzetti, é um produto que faz mágica
FOTOS ALEX DE JESUS
As calças com cós em elasfit que, de acordo com Pollyanna Buzetti, é um produto que faz mágica

Por causa do chamado “elasfit” – uma espécie de elástico na cintura das roupas que, de acordo com as proprietárias, tem o poder de tirar a barriga e levantar o bumbum – a marca mineira DBZ Jeans tem visto suas vendas cresceram 50% ao ano desde 2004, quando foi inserida a inovação nas peças. “Nossa, essa calça me segura, me deixa sexy, me deixa linda”, dizem as compradoras, ávidas pelo corpo perfeito, à gerente de produto Pollyanna Buzetti, 28.

De uma produção pequena, feita em casa, e que começou há 12 anos, a DBZ confecciona e vende anualmente 250 mil peças, entre calças jeans e casual, saias longas e médias, shortinhos, peças de alfaiataria, macacão e vestidos. Por coleção, são lançados 300 modelos de moda feminina casual. “Não determinamos a faixa etária, porque temos clientes de todas as idades”, conta.

Mas o carro-chefe da marca, com fábrica no bairro Prado, em Belo Horizonte, é o elasfit, um produto patenteado. “A ideia dele foi do departamento de estilo da DBZ, baseado nas calças legging, mas com o conforto e o jeans”, explica Pollyanna, filha da criadora da marca, Ilda Buzetti.

No laboratório, explica Pollyanna, a ideia era a de fazer uma calça sem botão e sem zíper, que se adaptasse à mulher brasileira. “Vamos tirar o que incomoda numa calça jeans e fazer uma calça de desejo da mulher. Como foi um produto que deu muito certo, colocamos nas peças de alfaiataria, no shortinho. O elasfit se adapta totalmente à cintura da mulher”, explica Pollyanna.

Com o sucesso, a marca tem visto o faturamento também aumentar. Cresceu 20% no último ano e em 2014 a expectativa de Pollyanna é a de manter o mesmo percentual. Em números, a marca não divulga o faturamento. Entre itens feitos de cetim, viscose, malha e outros tecidos, Pollyanna conta que quando o lojista compra uma vez as roupas da DBZ com o elasfit, não para mais de comprar. “Ele (comprador) consegue fazer o caixa da loja dele com o produto DBZ, porque é uma venda certa, de giro certo. Não fica encalhado de jeito nenhum. A gente não faz nem bazar, porque não sobra”, conta.

Em 853 pontos de venda no Brasil, agora Pollyanna está com representação no Sul, em São Paulo e no Espírito Santo. “É o representante que vai de loja em loja. Porque, até então, só trabalhávamos com pronta-entrega, e sentimos necessidade de atingir esses pontos defasados”, explica. Mas no bairro Prado a marca também mantém um showroom.

Com 60 funcionários diretos, a DBZ tem mais de 300 indiretos que estão na facção, lavagem e costura.

Grandes números

250 mil peças são produzidas por ano na fábrica da DBZ. Por coleção, são 300 modelos

60 funcionários diretos e mais de 300 indiretos estão no desempenho da DBZ

50% ao ano tem sido a alta nas vendas da DBZ desde a criação do elasfit nas roupas

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave