Golf elétrico posiciona VW em mercado em ascensão

Com o lançamento da versão, Volks corre atrás do prejuízo em seu mercado, onde a BMW está fazendo sucesso com o i3

iG Minas Gerais | Márcio Maio |

Por dentro. No interior, as diferenças são menos evidentes e a maior delas é no painel de instrumentos
Fotos Volkswagen/Divulgação
Por dentro. No interior, as diferenças são menos evidentes e a maior delas é no painel de instrumentos

A eficiência energética já figura em posição de destaque na lista de prioridades dos principais fabricantes de automóveis. E a Volkswagen parece querer aliar a tradição de um de seus maiores sucessos, o Golf, à imagem positiva que cerca o segmento de veículos elétricos. O hatch médio foi lançado em fevereiro na Alemanha em versão elétrica, a e-Golf. E nos próximos meses ganhará outros países do Velho Continente, que buscam cada vez mais a redução de poluentes. Tudo para enfrentar a concorrência – já um passo à frente – da conterrânea BMW, que lançou o elétrico i3 em fevereiro e em pouco tempo já contabilizava uma fila de espera de seis meses para o modelo. O e-Golf é feito em cima da sétima geração do carro. Ecologicamente correto, ganha alguns toques diferentes no exterior, como a inserção da cor azul em detalhe da grade dianteira, o logotipo “e” na traseira e rodas de liga especiais para o modelo, com 16 polegadas. A bateria é posicionada de forma integrada ao chão do carro, minimizando o impacto e baixando o centro de gravidade. O e-Golf não chega em um quadro de pioneirismo. Não é o primeiro elétrico, não é o carro com essa tecnologia que garante a melhor autonomia e nem o que custa menos – na Alemanha, a versão sai por 34 mil, o equivalente a R$ 103,7 mil. Mas leva uma vantagem diante de seus concorrentes com emissão zero de poluentes: continua sendo um Golf. O coração de seu sistema “verde” é uma bateria de íon-lítio de 24,2 kWh capaz de rodar cerca de 190 km com carga completa. Para otimizar a eficiência do combustível, o carro tem três opções de direção: Normal, Eco e Eco +. E ainda quatro níveis de aproveitamento de energia de frenagem, que são D1, D2 , D3 e B. No modo Eco + e B, por exemplo, o veículo passa a adotar uma economia intensa e tem sua velocidade máxima reduzida de 140 km/h para 90 km/h. Nessa situação, assim que se solta o pedal do acelerador, o e-Golf desacelera imediatamente. A recarga completa da bateria do carro ultrapassa oito horas, mas em apenas 30 minutos é possível garantir 80% de sua capacidade. A lista de itens de série é generosa. Começando pelos seis airbags até chegar ao sistema antibloqueio de frenagem de colisão múltipla, a detecção de fadiga do condutor, o indicador de pressão dos pneus, direção progressiva, faróis e lanternas em LEDs, controle climático automático e, entre outras coisas, um sistema de navegação por satélite com tela sensível ao toque de oito polegadas e sensor de estacionamento.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave