She’s like a rainbow

Sem medo de mudar o visual radicalmente, saiba como se jogar nas tintas coloridíssimas para as madeixas

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

A atriz Bruna Linzmeyer precisou pintar os cabelos de rosa para encarar a personagem na trama global “Meu Pedacinho de Chão”
Estevam Avellar/TV Globo
A atriz Bruna Linzmeyer precisou pintar os cabelos de rosa para encarar a personagem na trama global “Meu Pedacinho de Chão”

Pra quem comemorou que, finalmente, ficar grisalho era sinal de estilo e não descuido, agora é o momento certo de conviver com madeixas de várias tonalidades. Bem coloridas mesmo, como as das sereias de desenho animado. Mas isso não é exatamente novidade, já que a prática vem de outras décadas: que atire a primeira pedra quem nunca se aventurou – quando era mais jovem, é claro – no velho truque de usar folhas de papel crepom coloridas misturadas à água para obter aquela cor de cabelo inusitada.  

Com as novidades dos cosméticos e o empurrãozinho da passarela, agora ficou muito mais prático optar pelas madeixas aquareladas. No desfile de primavera-verão de 2013 de Oscar de la Renta, as modelos surgiram com coques de inspiração sessentinha com um detalhe bem contemporâneo: alguns fios em cores intensas, como azul. Em editoriais, o beauty artist do Spa Bella Donna, Washington Rodrigues utiliza do recurso para criar novos personagens. “Eu posso trabalhar com cores mais em tom bebê ou até mesmo cores mais punks, trabalhadas em mechas mais definidas”, explica.

Use já!

Na vida real, algumas famosas já estão mostrando que, sim, você pode fazer o que quiser com seu cabelo na hora de pintar sem que isso seja uma prática exclusivamente adolescente. Estão aí Demi Lovato, Katy Perry, Ke$ha e Kelly Osbourne que adotam os fios com cores como roxo, rosa, verde, azul e outras tonalidades que se estendem da usual cartela do loiro, castanho e preto. “Além do cabelo colorido ser diferente, ele traze modernidade e sai um pouco do convencional”, acredita.

Público cativo

Embora hoje seja mais comum do que se imagina cruzar a rua com fios coloridíssimos, adotar o visual “rainbow” ainda é algo para os corajosos. “Quando o assunto é radicalizar e usar cores fashionistas nos cabelos ( rosa, azul e roxo, por exemplo) vejo muita resistência. Acredito que quanto mais jovem é a mulher, principalmente na adolescência, mais destemida é quando o assunto é cabelo”, explica Roberta Querido, colorista do salão Marcos Proença, em São Paulo.

Para provar que em toda regra há exceção, a atriz britânica de 68 anos Helen Mirren recentemente colocou rosa nas madeixas. A tonalidade também invadiu a trama global “Meu Pedacinho de Chão”, e fez com que a atriz Bruna Linzmeyer adotasse a cor nos cabelos – e ainda confessou que sempre quis pintar os fios dessa cor.

A nova aquarela

Diferentemente dos tons vibrantes, as cores da vez são delicadas e com tonalidades bem clarinhas, em tons pastel, que deixam de lado qualquer referência do punk rock. De acordo com a colorista, mesmo com a tonalidade à la algodão doce, em geral os fios precisam ser clareados para receber a tinta de maneira uniforme e retocados com frequência, já que a cor desbota facilmente. “E é importante ressaltar que esse processo agride o cabelo. É preciso fazer hidratação toda semana, trocar o condicionador pela máscara, que é bem mais potente. Para evitar que desbote, é indicado a pessoa usar xampus específicos para cabelos coloridos”, ensina Roberta dando o beabá da manutenção.

Não curtiu?

Se o arrependimento bater, é preciso voltar à estaca zero, ou seja, fazer uma decapagem. O procedimento químico remove toda a cor do cabelo para que em seguida receba a tonalidade de antes. “Tive um caso recente de uma cliente que resolver radicalizar e ter um cabelo azul. Se arrependeu e voltou pedindo o cabelo natural. Quando tentamos fazer o procedimento, os fios estavam frágeis e não aguentaram, quase se quebraram. Ela precisará esperar alguns meses para tentarmos novamente”, conta.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave