De volta à juventude

Na pele da regente Regina, Sylvia Massari comemora volta ao elenco da trama global “Malhação”

iG Minas Gerais | anna bittencourt |

“Adoro trabalhar com jovens. É maravilhosa a troca de experiências. Entro na mesma vibe deles”
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
“Adoro trabalhar com jovens. É maravilhosa a troca de experiências. Entro na mesma vibe deles”

Sylvia Massari caiu de paraquedas na atual temporada de “Malhação”. Convidada pelo produtor de elenco Flávio Zambroni após Suely Franco, que seria a intérprete da regente Regina na novela, recusar o papel por ter sido escalada para “Amor à Vida”, a atriz assumiu de bom grado a personagem da trama de Ana Maria e Patrícia Moretzsohn. “Adoro trabalhar com jovens. É maravilhosa a troca de experiências. Entro na mesma vibe deles”, garante ela, que também esteve no folhetim infantojuvenil em 2007, como Marta Jaguar. Para interpretar a freira e professora de música, Sylvia fez algumas aulas de regência com seu marido, o maestro e compositor Guto Graça Mello. Além disso, teve de se inteirar melhor sobre as músicas que os jovens estão ouvindo. “Como ela é bem moderna, vai dos tradicionais corais à roda de samba de raiz”, comemora.

Natural de Jardinópolis, município de São Paulo, Sylvia iniciou a carreira cedo. Com três anos, ela já cantava nas rádios de Ribeirão Preto, além de trabalhar como modelo e manequim. Após vencer um concurso, em 1968, sua vida nos palcos começou. Ao lado de Moacyr Franco, protagonizou o musical norte-americano “Os Fantástikos”. De lá para cá, foram muitas peças, participações e papéis fixos em novelas e programas humorísticos. Entre tantos personagens, Sylvia destaca um como o mais marcante de sua extensa trajetória. “A boneca Dona Santa sempre vai significar muita coisa para mim”, relembra, citando a freira interpretada por ela em “A Praça É Nossa”.

Preferências Ator: Antônio Fagundes Atriz: Fernanda Montenegro Humorista: Ronald Golias Filme: “Um Lugar Chamado Notting Hill”, de Roger Michell, com Julia Roberts e Hugh Grant Livro de cabeceira: “Mensagens de Maria Para Sua Família”, de Annie Kirkwood e Byron Kirkwood O que falta na televisão: Musicais O que sobra na televisão: Sensacionalismo e vulgaridade Se não fosse atriz, o que seria: Psicóloga Novela preferida: “Joia Rara”, de Thelma Guedes e Duca Rachid

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave