Primeiramente: carisma

Sabrina Sato aposta em bom humor e espontaneidade em sua estreia como apresentadora de televisão

iG Minas Gerais | luana borges tv press |

Desenvoltura. Aos poucos, Sabrina acredita que vai melhorar seu desempenho como apresentadora
Edu Moraes
Desenvoltura. Aos poucos, Sabrina acredita que vai melhorar seu desempenho como apresentadora

Em qualquer lugar que apareça, Sabrina Sato sabe bem como tirar proveito de seus atributos físicos. Mas seu grande trunfo mesmo é a espontaneidade. Característica que ficou ainda mais evidente no “Programa da Sabrina”, exibido pela Record e que marca sua estreia como apresentadora. Logo de cara, ela avisou que errar seria algo comum. E realmente, Sabrina dá suas escorregadas. Mas lida com isso de forma tão natural que chega a ser divertido. A apresentadora é a primeira a deixar claro que está aprendendo a ler no teleprompter e que ainda não é boa na função. Até na hora do merchandising ela consegue deixar seu bom humor transparecer. E um momento que costuma quebrar o ritmo de qualquer programa se torna, ao menos, engraçado.

O jeito descontraído de Sabrina é reforçado pelo sotaque caipira, que já virou marca registrada. Em alguns momentos do programa, ela se força a falar pausadamente. Mas o “r” enrolado continua lá. Ouvir a voz estridente de Sabrina com direito a um sotaque caricato poderia beirar o insuportável durante as duas horas e meia de produção. Mas a postura humilde da apresentadora aliada à sua simpatia acumula mais pontos positivos do que negativos.

O formato do programa em si é que não é lá grandes coisas. Além de um convidado famoso, conta com uma série de quadros. Alguns bobos demais; outros cópias do que já se vê na TV. Como, por exemplo, “Meu Marido É O Cara”, em que casais disputam o prêmio de R$ 5 mil através de testes de habilidade física e inteligência. Além de desinteressante, dura muito tempo no ar.

Aliás, o programa em si é longo demais para as noites de sábado. E a edição não é ágil o suficiente para torná-lo mais dinâmico. Em alguns momentos, os cortes são bruscos. Em outros, a produção fica arrastada. Mas nada que, com o tempo, não se possa equalizar. Se depender da boa vontade e da simpatia de Sabrina, o programa tem tudo para cumprir o que se propõe a fazer: um entretenimento despretensioso com pitadas de humor de sua apresentadora.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave