Processo seletivo na carreira

Dan Stulbach volta a atuar na televisão brasileira em “Segunda Dama”, próximo seriado da Globo

iG Minas Gerais | belisa taam |

Convite. Dan conta que convite para atuar na produção veio em um momento no qual queria voltar à TV
Jorge Rodrigues Jorge/CZN
Convite. Dan conta que convite para atuar na produção veio em um momento no qual queria voltar à TV

Transitar por diferentes veículos é uma das marcas de Dan Stulbach. Com o tempo dividido entre o comando fixo do programa “Fim de Expediente”, da rádio CBN, e trabalhos no teatro, o ator sente falta de ter mais tempo para atuar na televisão. Por isso mesmo, o convite para dar vida ao obsessivo Paulo Hélio de “Segunda Dama”, próxima série da Globo, chegou na hora ideal. “Foi um envolvimento mais rápido e no tempo certo diante dos meus outros projetos”, conta. Sem contrato fixo por vontade própria, Dan prioriza a liberdade de tocar seus outros compromissos profissionais, mas enaltece a projeção que o veículo lhe oferece. “Sem dúvidas, o ator fica mais em evidência. Ser reconhecido nas ruas pelo seu trabalho é a melhor forma de retribuição”, elogia ele.  

Na trama, com dose de humor e drama, Paulo Hélio é um homem de família nobre e casado com Analu, a gêmea rica do seriado, interpretada por Heloísa Périssé. No entanto, a rotina do casal é marcada pelas manias do personagem, que fica dez anos sem sair de casa. Apesar da carga intensa do papel, Dan acredita que a abordagem é conduzida de forma cômica e leve. “Paulo Hélio tem a esquisitice de não colocar a mão na maçaneta, mas é um papel que puxa para o lado da comédia”, analisa. Mesmo assim, o ator adianta que, a partir do terceiro episódio, seu personagem vai redescobrir certos hábitos. “Com o desenrolar da história, ele vai voltar a fazer coisas normais, como dar um mergulho no mar”, revela.

Durante os quatro meses de gravação, Dan relembra a liberdade que teve nas sequências que dividiu com Heloísa Périssé, uma das autoras da produção. “Tinha muito improviso e olho no olho. O bom é que ela deixava, ainda mais por ser seu texto”, diverte-se. A cada trabalho, o ator reforça a importância de um estudo de campo aprofundado para, assim, se inserir mais a fundo em um contexto diferente ao seu. “Seja por um filme ou através de pessoas que já passaram por isso. Costumo me aprofundar no texto para começar a criar a forma do papel para chegar de maneira mais pronta”, opina.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave