Souza elogia cavalherismo de Dagoberto, que destaca união do elenco

Dagoberto, que teve problemas com Marcelo Oliveira, deixou Souza bater o pênalti e disse saber sua importância para o coletivo do Cruzeiro

iG Minas Gerais | da redação |

Era para Dagoberto ter pegado a bola e cobrado o pênalti que acabou igualando o marcador da vitória do Cruzeiro, de virada, por 3 a 2, contra o Atlético-PR. Contudo, Souza pediu para bater e teve o desejo atendido. O volante foi só elogios ao camisa 11, que, por sua vez, destacou que o grupo não tem vaidade.

Souza empatou o jogo para o Cruzeiro em uma cobrança rasteira, com tranquilidade. O meio-campista retribuiu o favor de Dagoberto depois, em uma falta. “O Dagoberto, com toda a humildade, me deixou bater. Um cara espetacular, ele me deixou bater. Depois ele quis bater uma falta e eu deixei. Grupo sem vaidade. Viemos com equipe mista e temos que estar bem no Brasileiro para dar valor à nossa equipe”, disse Souza.

Dagoberto, que vem entrando mais no time depois de uma lesão, sempre foi classificado como um jogador de difícil convivência. Após o desentendimento com Marcelo Oliveira, no empate diante do Defensor-URU pela fase de grupos da Libertadores, porém, o jogador vem mostrando mais calma no grupo e disse saber sua importância para a equipe.

“Estou muito bem, a equipe está bem e tenho que ter a consciência de que todo jogador é importante, eu sou importante, mas sei que o Cruzeiro é um todo, um grupo”, avaliou Dagoberto.