Napoli vence e conquista título manchado por conflito

Time faturou o quinto título da Copa da Itália em partida marcada por violência entre torcedores

iG Minas Gerais | Agência Estado |

No dia em que a decisão da Copa da Itália ficou em segundo plano graças à mancha criada antes da partida por um violento confronto entre torcidas organizadas, o Napoli faturou seu quinto título da competição. Neste sábado, a equipe derrotou a Fiorentina por 3 a 1, com dois gols de Insigne, no Estádio Olímpico de Roma, e recuperou o troféu conquistado em 2012 - no ano passado ficou com a Lazio.

Além de 2012, o time napolitano já havia ficado com o título em 1962, 1976 e 1987. Já a Fiorentina teve que se contentar com seu quarto vice. A equipe, no entanto, aparece na frente do Napoli na lista de campeões com seis conquistas: 1940, 1961, 1966, 1975 1996 e 2001.

A partida começou com cerca de meia hora de atraso por conta de um confronto entre torcedores do Napoli e da Roma, fruto da histórica rixa entre as duas cidades. Pelo menos três torcedores foram baleados, sendo que um deles está em estado grave. Outras dezenas de pessoas ficaram feridas.

Às 16 horas (de Brasília), horário previsto para o início do jogo, Hamsik, eslovaco ídolo da torcida do Napoli, subiu sozinho ao campo e, acompanhado de policiais, se dirigiu ao líder dos ultras do seu time para uma conversa particular. O torcedor, com uma camisa que pedia "liberdade aos ultras", desceu ao gramado, e deu "aval" para que a partida iniciasse.

O JOGO - O Napoli começou com tudo o primeiro tempo, empurrado pelo dia inspirado do atacante Insigne, responsável por dar à equipe uma vantagem confortável no primeiro tempo. Logo aos cinco minutos, ele quase marcou, ao fazer bela jogada pela esquerda, cortar para o meio e exigir grande defesa do brasileiro Neto.

Seis minutos depois, no entanto, não teve jeito. Hamsik puxou contra-ataque e rolou para Insigne bater cruzado, com curva. A bola ainda bateu na trave antes de entrar. O segundo sairia aos 17, novamente com Insigne. Ele aproveitou cruzamento de Higuaín para bater de esquerda, contar com um desvio e aumentar a vantagem.

Precisando reagir, a Fiorentina foi para cima e diminuiu aos 28. Ilicic lançou para Vargas, que estava em posição duvidosa e bateu no canto esquerdo de Reina. O empate até saiu aos 44, mas a arbitragem anulou. Após cobrança de falta para a área, Aquilani marcou, mas em posição de impedimento.

Emocionante no primeiro tempo, a partida perdeu muito em nível técnico no segundo. E as oportunidades ficaram escassas. O Napoli se fechava, tentando manter a vantagem, enquanto a Fiorentina apostava todas as suas fichas em uma pressão. Aos 26, Matías Fernández quase marcou de fora da área. No contra-ataque, os napolitanos tiveram a chance de matar o jogo com Pandev, mas também desperdiçaram.

A partida só voltou a ganhar em emoção com a expulsão de Inler, aos 34 minutos, por falta em Ilicic. A Fiorentina aproveitou a vantagem numérica para ir para cima e teve grande oportunidade aos 40, quando Ilicic recebeu dentro da área, sozinho, e tentou encobrir Reina, mas jogou para fora. Já nos acréscimos, Mertens recebeu dentro da área, fez o terceiro e selou o resultado.

Leia tudo sobre: napoliromacopa da italiaconflitoviolênciarixa entre torcedores