Após eliminação, dia no Galo serviu para resolver atritos

Atacante saiu do jogo de quinta reclamando de ter sido substituído pelo treinador

iG Minas Gerais | fernando almeida e Thiago Prata |

Resposta. Levir Culpi não se abateu com as críticas que recebeu de Diego Tardelli
LINCON ZARBIETTI
Resposta. Levir Culpi não se abateu com as críticas que recebeu de Diego Tardelli

Todo dia seguinte a uma eliminação tem cara de velório. E assim foi a sexta-feira na Cidade do Galo. Alguns jogadores ainda não acreditam que o time deixou a Libertadores de forma precoce. Outros, sequer conseguiram dormir na noite seguinte ao empate em 1 a 1 com o Atlético Nacional-COL, no Independência. Sem tempo para lamentações, o técnico Levir Culpi tenta injetar auto-estima no elenco para o decorrer da temporada. E, em meio à missão de fazer a equipe andar nos trilhos novamente, teve que resolver uma rusga.

O atacante Diego Tardelli se mostrou insatisfeito por ter sido substituído no segundo tempo do embate diante dos colombianos. Pelos gestos ao deixar o campo de jogo para a entrada de Guilherme e na entrevista ao fim do confronto, ficou claro que, na visão do avante, Levir Culpi errou ao tirá-lo da partida. O comandante do Galo, por sua vez, justificou a decisão, dizendo que Tardelli não estava bem.

Para colocar panos quentes nessa polêmica, logo no início de sua quarta passagem pelo Galo, Levir tratou de se reunir, não apenas com o atacante da camisa 9, como com todo o plantel alvinegro.

“Não vou entrar no mérito. É uma questão deles. Houve uma conversa com todo o grupo. E acho que tudo foi resolvido. Antes do treino aconteceu essa conversa”, afirmou o volante Pierre, que desmentiu os rumores de que o elenco alvinegro está ‘rachado’.

“Não existe racha. Todo mundo está unido. Quando acontece eliminações, muita coisa é dita. Mas o grupo é unido, e juntos vamos tentar recuperar no Brasileiro”, destacou o meio-campista.

Insônia. Devido à eliminação na Libertadores, o zagueiro Otamendi passou boa parte da noite de quinta-feira em claro. “É difícil ficar de fora de uma Libertadores, uma Copa muito importante por aqui. Dormi duas horas apenas. Dormi às 6h e acordei às 8h. Ainda não estou consciente do que aconteceu. Mas é olhar para frente e continuar trabalhando”, afirmou o argentino.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave