Tá chegando a hora!

iG Minas Gerais |

A próxima quarta-feira será um dia muito importante para o futebol brasileiro, pois o técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, anunciará os 23 jogadores que defenderão o Brasil na Copa do Mundo. O treinador disse, recentemente, que tinha apenas uma dúvida a dirimir para a lista final. Acho que essa incógnita na cabeça de Felipão, se é que ela já não foi desfeita, concerne ao quarto zagueiro a ser convocado, considerando-se que David Luiz, Thiago Silva e Dante estarão no Mundial. O segundo lateral-esquerdo, ou não, também pode ser esse mistério do 23º escolhido. Para mim, Dedé, do Cruzeiro, deveria ser o defensor convocado. Ele é tecnicamente estável, tem muita força física e ainda faz seus golzinhos, principalmente de cabeça, como o que abriu o caminho da vitória celeste no jogo que classificou a Raposa para as quartas de final da Libertadores. Os concorrentes de Dedé ficaram pelo caminho: Réver, do Atlético, que teve um 2013 melhor do que o rival celeste, se machucou e ficou muito tempo parado. Marquinhos, revelado pelo Corinthians e que hoje joga pelo Paris Saint-Germain, é muito bom jogador, mas muito jovem. Alguns falam também em Miranda, ex-São Paulo. Mesmo com a grande campanha do Atlético de Madrid na Liga dos Campeões, seria muita incoerência de Felipão chamar um jogador que ele convocou só uma vez nesta segunda passagem pela seleção. Quanto ao segundo lateral-esquerdo – Marcelo é titular absoluto –, o treinador pode fazer o que eu faria. Abrir mão dessa vaga para chamar mais um atacante, ainda mais que Daniel Alves, titular da ala direita, atua pelo lado oposto com a mesma segurança que demonstra em sua posição “oficial”. Escrevo isso por um motivo muito simples, a condição física de Fred, que, embora esteja bem hoje, pode, a qualquer momento, como já aconteceu várias vezes, estourar. Sem Fred, que é um jogadoraço, teríamos que contar com Jô. Nada contra o centroavante do Atlético, mas para quem já teve Careca, Romário e Ronaldo Fenômeno nas últimas décadas, ter que “aguentar” o Jô como titular seria demais. Ele é um jogador apenas regular e esforçado, que perde muitos gols. Basta lembrar a grande seleção de 1982. Careca, um dos melhores que já vi na posição, se machucou e Serginho Chulapa foi o titular de Telê Santana. A diferença técnica entre Fred e Jô e entre Careca e Serginho é equivalente. Embora tenha encantado o mundo, mesmo sem ter sido campeã, a seleção de 82 teve Serginho destoando, e muito, dos demais gênios que faziam parte daquele time, o que não acontece com a equipe atual, que tem apenas um gênio: Neymar. O problema é: quem seria esse atacante a ser chamado no lugar do segundo lateral-esquerdo? Não tem! Robinho não dá, pelo amor de Deus! Sua época já passou. Sei que pode parecer uma loucura, mas, na falta de outro, eu levaria Luis Fabiano, mesmo em má fase. Ele já jogou uma Copa do Mundo, e como titular, em 2010. É goleador nato, não tem medo de cara feia e seria uma opção interessante caso Fred se machuque e Jô não corresponda. No mais, não haverá novidades. Maicon será o segundo lateral-direito e Hernanes e Lucas não serão chamados. Não por incapacidade técnica, mas pelo fato de só haver 23 vagas. Por isso, muita gente boa ficará fora. Sejam qual forem as escolhas de Felipão, o Brasil entrará na Copa como favorito, pois joga em casa e mostrou, na Copa das Confederações, que tem um time, não um grupo, muito forte.

Apelo. Se Felipão não convocar o goleiro Victor, será a maior injustiça em Copas desde 1982, quando Getúlio, lateral-direito, participou de todas as eliminatórias e não foi chamado por Telê, a quem ele nunca perdoou. Edevaldo foi o reserva de Leandro, o maior da posição que vi jogando. O que Victor vem fazendo desde que chegou ao Galo o faz merecer ser titular da seleção, mas a convocação é o mínimo que se espera.

Libertadores. Queria ter duas colunas hoje para escrever uma delas sobre Atlético e Cruzeiro na Libertadores. Se passar pelo San Lorenzo, a Raposa só perde para ela mesma. Já o Galo, como venho escrevendo com frequência, virou o fio desde o Mundial de Clubes. Kalil assumiu toda a culpa pelo fracasso. Jogou para a torcida, pois deve ser candidato nas próximas eleições. Seu arrependimento inconfessável, acho, foi renovar com Ronaldinho.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave