A voz Celeste

iG Minas Gerais |

O maior de Minas é o único representante do Brasil na Libertadores. O que estava de cabeça para baixo volta ao normal, tudo está no seu lugar. Deixando a Libertadores para o meio da semana, trocando o chip e voltando para o Brasileiro, hoje entramos em campo contra o Atlético-PR. O jogo será em Brasília porque os rubro-negros estão cumprindo perda de mando de campo. Marcelo Oliveira escala um time praticamente reserva, só Fábio de titular. Jogar em time grande é bom porque tem várias competições. Não saímos de nenhuma precocemente e, assim, todos os jogadores atuam. Esse time considerado reserva tem jogadores que podem ser titulares em qualquer equipe do Brasil. Sempre falei que quem quer ser campeão brasileiro não pode perder pontos para os clubes que não lutam pelo título. Portanto, hoje é jogo para somar três pontos. Rumo ao tri da Libertadores!

A voz da Massa

Saudações alvinegras! A eliminação do Atlético não se deu no jogo contra o Nacional. Na verdade, o Galo começou a perder a Libertadores lá no início da temporada, quando o nosso presidente teve a infeliz ideia de contratar Paulo Autuori, que, assim como havia feito com outros times, afundou o Galo numa crise que todos sabíamos, já estava anunciada. Mas a culpa não é só deles dois: é também do senhor Ronaldinho, que só faz andar em campo e perder a bola, e de outros jogadores que não estão jogando nada; como também é de quem contratou jogadores que não estão no nível técnico do nosso time, como Emerson Conceição e outros que até agora não disseram a que vieram. Com raríssimas exceções, entre eles Victor – se não fosse ele, a situação estaria bem pior –, cada um dos culpados tem que mostrar a cara, assumir a sua parcela de culpa e consertar o próprio erro.

Avacoelhada

O América deve buscar o equilíbrio entre defender e atacar com a máxima eficiência a fim de conquistar a primeira vitória fora de casa, na partida contra o Boa, às 16h20, no Dilzon Melo, em Varginha. As participações ofensivas de Elsinho e Gilson nas triangulações pelos lados serão fundamentais na descompactação da defesa adversária e abertura de espaços para as infiltrações de Andrei, Tchô e Obina. Apesar de Guerreiro, Andrei e Pablo serem os principais responsáveis pela marcação no meio de campo, Pablo precisa ser mais agudo pela direita para tabelar com Elsinho. Tchô deve jogar mais próximo da área e também aberto pela beirada, quando Pablo estiver recuado. Ricardinho é o atacante de velocidade, e Obina, o centroavante definidor. Thiago Santos, Mancini, Willians e Diney são opções de reposição. Blitz no Itatiaia Bar, à rua Pium-i, 620.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave