Avril Lavigne mantém pose de roqueira-rosa e adolescente

Cantora canadense se apresenta na capital hoje para mostrar canções do último disco e hits da carreira

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Getty Images/Divulgação
undefined

Avril Lavigne já não tem mais 17 anos para usar boné para trás, infringir as regras do colégio e depois ser a patricinha de cabelo escovado que sofre de amor em um clipe fofo. Aos 29 anos, porém, pouca coisa mudou. Incorporando um projeto de roqueira controversa que usa saia da Hello Kitty, a cantora que chegou a se apresentar para 35 mil pessoas em um passado mainstream distante, mostra o show da sua última turnê para os fãs que devem ver a artista esta noite, no Chevrolet Hall.

Antes de tocar na capital, Avril passou por São Paulo com um show morno e um set list que mistura hits da carreira com canções do quinto álbum homônimo, lançado em novembro de 2013. Este, por sinal, deve ser o repertório da apresentação em Belo Horizonte, que terá cerca de 18 canções, incluindo “Smile”, “What the Hell”, “Sk8ter boi", “Complicated”, além de “Bad Girl”, composta por ela e pelo excêntrico Marilyn Manson.

Apesar da parceria de peso, o som de Avril se limita às mesmas baladas básicas de guitarra e bateria, e as letras ainda são atreladas ao universo teen, que sofre por amores de plástico e acredita que nunca vai precisar mudar. Fora isso, a canadense assiste dia a dia suas vendagens despencarem sem conseguir atingir um público certo – o último álbum vendeu 44 mil cópias na semana de estreia, a pior marca em 12 anos de carreira.

Avril também teve conflitos com fãs do outro lado do mundo, quando japoneses acusaram a canadense de racismo pelo clipe da música “Hello Kitty” – no qual dançarinas nipônicas se portam como robôs prontos para obedecer a canadense, enquanto ela canta versos infantis que falam sobre noite do pijama, guerra de travesseiros e segredos para jurar com o pacto dos dedos mindinhos.

Mas quem disse que Avril se importa em continuar vivendo na Terra do Nunca? Seu último single, “Here’s to Never Growing”, foi alfinetado por ser muito similar a “Complicad”, que apresentou a princesinha-rosa do rock em 2002. Mas, assim como o antigo hit, a nova música dá o recado ao estilo Peter Pan: “Eles dizem apenas ‘cresça’ / Mas eles não nos conhecem / Nós não damos a mínima / E nós nunca iremos mudar’.

Agenda

o quê. Show Avril Lavigne

onde. Chevrolet Hall (av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi).

quando. sábado, às 21h30

quanto. R$ 250 (inteira) e R$ 125 (meia-entrada)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave