Cardápio dos Andes

Cultura inca no Vale Sagrado, entre Cusco e Machu Picchu, produz culinária exótica e atraente

iG Minas Gerais | Cristina Massari |

A riqueza agrícola é enorme e há vários rituais gastronômicos
Cristina Massari/Agência O Globo
A riqueza agrícola é enorme e há vários rituais gastronômicos

Se a gastronomia peruana hoje complementa a oferta turística do Peru, que tem em Machu Picchu seu maior ícone, o país também deve agradecer à região do Vale Sagrado, sobretudo aos avançados conhecimentos agrícolas dos incas, pela riqueza e fartura de ingredientes daquelas bandas.

Nas terras férteis cercadas pelas montanhas dos Andes, paisagem mágica, onde blocos massivos de terra cobertos por vegetação e pedras parecem ganhar vida, crescem batatas, milhos, ervas, e até animais, matéria-prima que inspira a criatividade de chefs como Gastón Acurio e Virgilio Gonzalez, que vêm conquistando paladares ao redor do mundo. Cusco, antiga capital do império inca, está no centro dos holofotes nessa região.

Dentre os hotéis que recentemente reforçam a oferta de hospedagem de luxo estão Aranwa, Marriott, Palazio Nazarenos e Palacio del Inka - este último aberto em agosto pela Starwood, com o selo Luxury Collection, após renovação de US$ 15 milhões. E, se a hotelaria ganhou um upgrade em Cusco, a gastronomia não fica atrás.

Os mesmos chefs que deram notoriedade aos cardápios de Lima ocupam suas mesas também em belas ruas históricas. Os produtos das montanhas são a base dos pratos. Os frutos do mar saem de cena para dar lugar às trutas, ao lado das carnes de cerdo, cue, alpaca. A experiência gastronômica é riquíssima, basta ter um pouco de coragem.

E com uma dose extra de disposição, há Machu Picchu “com emoção”. Huayna Picchu, a montanha Nova, no topo do sítio arqueológico pode ser visitada em trilhas por quem chega cedo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave