Avalanche no Afeganistão deixa mais de 2 mil desaparecidos

Governador da província de Shah afirmou que o deslizamento de terra enterrou cerca de 300 casas na área - cerca de um terço de todas as casas da região.

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Um deslizamento de terra provocado pelas fortes chuvas soterrou numa aldeia nesta sexta-feira (2) no nordeste do Afeganistão, deixando cerca de duas mil pessoas desaparecidas, disse um alto funcionário do governo.

O governador da província de Shah, Waliullah Adeeb, declarou que mais de duas mil pessoas estão desaparecidas depois das chuvas derrubarem uma montanha sobre a vila de Hobo Barik. Adeeb afirmou que o deslizamento de terra enterrou cerca de 300 casas na área - cerca de um terço de todas as casas da região.

O governador disse que as equipes de resgate estavam trabalhando mas sem equipamentos adequados, e por isso apelam para o uso de paz. "É fisicamente impossível agora", disse Adeeb. "Nós não temos pás suficientes; precisamos de mais máquinas."

Adeeb disse que as autoridades evacuaram uma aldeia próxima em meio às preocupações de novos deslizamentos de terra.

O chefe da polícia da província de Badakhshan, Faziluddin Hayar, disse que o deslizamento ocorreu por volta das 1h (horário local) de sexta-feira.

A província de Badakhshan, situada entre as serras Hindu Kush e Pamir na fronteira com a China, é uma das mais remotas do país. Desde 2001, a região tem sido alvo de ataques de insurgentes após a invasão norte-americana ao Afeganistão.

A região sofre com avalanches como a que ocorreu hoje. A mais mortal delas ocorreu em 2010 quando mais de 170 pessoas morreram em Salang Pass, que é a principal rota que liga as montanhas Hindu Kush à capital.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave