Atividade prejudica arredores

Moradores reclamam da violência e do barulho na região que preserva ares de zona rural

iG Minas Gerais | bernardo miranda |

Entorno. Na imagem, outro terreno, na mesma região de Nova Lima, já abandonado pelos responsáveis pela mineração irregular
Alex de Jesus
Entorno. Na imagem, outro terreno, na mesma região de Nova Lima, já abandonado pelos responsáveis pela mineração irregular

A chegada da mineração irregular em Água Limpa levou embora a paz dos moradores do bairro de Nova Lima, que mesmo estando dentro da região metropolitana, ainda conserva um ambiente de zona rural. Ameaças de morte, aumento da criminalidade e barulho de máquinas e caminhões passaram a fazer parte da rotina do local.  

A relação entre quem vive na região e quem pratica a extração irregular é de medo. “A gente reclamava com eles, mas depois vimos que era perigoso. Um dos nossos vizinhos chegou a ser ameaçado com uma arma. Esse pessoal não é boa gente”, pontuou uma dona de casa que pediu anonimato por medo de represálias.

Ela conta que as máquinas começam a trabalhar cedo, antes das 7h, e só param quando escurece. “Antes desse pessoal chegar, em setembro do ano passado, isso aqui era uma paz. Som havia só dos passarinhos. Agora, é esse barulho durante todo o dia”, desabafou.

Os moradores também temem por um aumento da insegurança no local. Eles já reclamam de um crescimento no número de pequenos furtos nas casas e evitam deixar que crianças brinquem nas ruas.

“De repente chegou um monte de homem estranho aqui e coincidentemente começou a ocorrer furtos nas casas, o que não era comum. Agora, não posso deixar minha casa sozinha nem deixo meus filhos irem para a rua. Temo que aconteça algo de ruim com eles”, reclama outra moradora que também pediu para não ser identificada por medo.

Fuga. Ao menos três moradores disseram ter denunciado a extração clandestina e dizem já ter presenciado a fuga dos mineradores. Eles contam que a atividade é interrompida às pressas após a aproximação da fiscalização.

“Eles se comunicam via rádio e é impressionante como conseguem deixar o local com rapidez. Eles usam uma espécie de cabana para esconder as máquinas e os caminhões somem pela estrada de terra em questão de minutos”, disse outro morador. Em uma dessas fugas, a carreta acabou atingindo o padrão de luz de um dos moradores que até hoje está sem energia.

O comandante do 3º Pelotão da Polícia Militar Ambiental, responsável pela região, tenente Luiz Siqueira, afirma que é difícil caracterizar a atividade de mineração quando encontra apenas o local abandonado.

“Não podemos agir com suposições, nós temos que ter provas. Quando chegamos ao local e não há flagrante da atividade, muitas vezes não é possível caracterizar como mineração irregular porque pode ser apenas uma terraplenagem”, explicou o militar.

Terreno

Consulta. A reportagem tentou localizar os donos dos terrenos com mineração irregular, sem sucesso. A pesquisa é dificultada por ser uma área com alto índice de invasões.

Legislação

Crimes. A atividade de mineração irregular constitui crime ambiental por exercer serviços potencialmente poluidores sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, além do crime de usurpação de bem público, uma vez que o minério de ferro é considerado um bem da União e não do dono do terreno.

Punição. Pelo crime ambiental, a pena é de um a seis meses de prisão além de multa que varia de acordo com o tamanho do prejuízo ao meio ambiente e histórico da empresa. Já para usurpação, a pena varia de um a cinco anos de prisão e também multa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave