Máquina ‘pega moedas’ e ainda dá vale-compras

Rede mineira de drogarias instala primeiro equipamento

iG Minas Gerais | ANA PAULA PEDROSA |

Ajuda. Opção é pelo vale-compras ou doação ao hospital da Baleia
DROGARIA ARAUJO/DIVULGAÇÃO
Ajuda. Opção é pelo vale-compras ou doação ao hospital da Baleia

De cada cem moedas colocadas em circulação, 25 estão guardadas em cofrinhos ou esquecidas nos bolsos, gavetas e porta-objetos dos carros, segundo estimativa do Banco Central. O dinheiro que o brasileiro despreza, faz falta para o comércio. Tanto, que tem gente pagando por elas. Há duas semanas, a matriz da drogaria Araujo, na rua Curitiba, região Central de Belo Horizonte, recebeu a primeira máquina CataMoeda instalada em Minas Gerais. Nela, o cliente deposita suas moedas e ainda recebe um vale-compras no valor entregue mais 2% como forma de incentivo.

“Falta moeda no mercado e isso causa grandes dificuldades para nós”, diz a coordenadora financeira da rede de drogarias, Elma Cândido. Embora não divulgue o montante arrecadado, ela diz que a iniciativa já ajudou a amenizar o problema de falta de moedinhas na unidade. Tanto que a empresa já tem planos para instalar uma outra máquina na drogaria da Savassi até o dia 15 e instalar o equipamento em outras unidades nos próximos meses. Funcionamento. O funcionamento da máquina é simples: o consumidor coloca moedas sem precisar separá-las por valor, a máquina contabiliza quanto foi entregue e emite um vale-compras ou uma doação para o hospital da Baleia, conforme a opção dele. O vale-compras pode ser usado em até 30 dias na mesma unidade onde as moedas foram depositadas. A gerente de marketing da CataMoeda, Natália Izidoro, diz que a presença da máquina também aumenta o volume de vendas das unidades onde ela está instalada. “O fluxo permanente de troca aumenta a presença do consumidor na loja e o tíquete médio da compra, afirma a gerente. 

Poupança “Porquinho”. Tem mais incentivo para o consumidor. Quem levar R$ 20 em moedas à drogaria Araujo da rua Curitiba recebe de brinde um “porquinho” para continuar poupando.

Empresa é de Santa Catarina A CataMoeda foi desenvolvida em Santa Catarina. Já são 22 unidades instaladas naquele Estado, em São Paulo e no Paraná, todas em supermercados. Até agora, já foram arrecadadas mais de 2,13 milhões de moedas, que somaram R$ 448 mil. A empresa recebe um aluguel para cada máquina instalada.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave