Preciosa coleção de gravuras aporta em BH

Oriundos das Fundação Biblioteca Nacional, trabalhos são reunidos em mostra pela primeira vez desde 1890

iG Minas Gerais | carlos andrei siquara |

“Adão e Eva”, obra de Albrecht Dürer é uma das criações a serem vistas
Fundacao Biblioteca Nacional
“Adão e Eva”, obra de Albrecht Dürer é uma das criações a serem vistas

Iniciada durante o império, por Dom João VI, a coleção de gravuras pertencente à Fundação Biblioteca Nacional, que hoje acolhe cerca de 30 mil obras, é uma fonte de raridades. Parte desse acervo com peças concebidas por Francisco Goya (1746-1828), Rembrandt (1606-1669) e Albrecht Dürer (1471-1528), entre outros, é exibida agora na mostra “Mestres da Gravura”, aberta no Palácio das Artes.

O recorte, de acordo com Fernanda Terra, apresenta as criações dos melhores gravuristas presentes nesse conjunto. “Há obras valiosas, como as de Lucas Van Leyden (1494-1533), que em vida imprimiu poucas gravuras. Ele é um dos maiores gravadores do mundo e começou a trabalhar com essa técnica aos nove anos”, ressalta a curadora.

A oportunidade para se conhecer os 170 trabalhos produzidos por 81 artistas é, para ela, imperdível. “Esta é a primeira vez que essa coleção é exposta ao público desde 1890. Já houve outras exposições concebidas a partir desse acervo, mas nenhuma teve esse mesmo volume”, diz.

A itinerância, acrescenta a curadora, cumpre o papel de aproximar esse conteúdo do público. “É uma maneira de conhecer algo que faz parte da origem do saber no Brasil”.

Serviço. Mostra “Mestres da Gravura”, no Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, centro). Visitação até 22/6, de 3ª a sáb., das 9h30 às 21h; dom., das 16h às 21h. Entrada franca.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave