Dia do Trabalhador é celebrado na cidade

Milhares de pessoas se reuniram para acompanhar a 38ª edição da tradicional missa realizada na praça da Cemig

iG Minas Gerais |

Fé.
 No ano passado, milhares de fiéis estiveram presentes na Missa do Trabalhador, na praça da Cemig.
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Fé. No ano passado, milhares de fiéis estiveram presentes na Missa do Trabalhador, na praça da Cemig.

Dia 1º de maio é feriado civil, e o país comemora o Dia do Trabalhador. Nesse dia também a Igreja celebra o dia de são José Operário, o patrono dos trabalhadores. Em Contagem, a Missa do Trabalhador já se tornou tradicional e, neste ano, foi celebrada sua 38ª edição, na praça da Cemig. Milhares de pessoas compareceram ao evento, que teve início por volta das 9h e foi presidida pelo bispoauxiliar dom Luiz Gonzaga Fechio e concelebrada pelos padres da região.

Além disso, seis comunidades da paróquia Verbo Divino se reuniram na parte da manhã, no bairro Novo Horizonte, e celebraram a festa do padroeiro da comunidade.

A celebração do Dia do Trabalhador se dá no dia 1º de maio devido a um acontecimento no ano de 1886, em Chicago – maior parque industrial dos Estados Unidos. Foi nessa data que os operários de uma fábrica se revoltaram com a situação desumana a que eram submetidos e pelo total desrespeito à pessoa que os patrões demonstravam. Eram 340 em greve, e a polícia, a serviço dos poderosos, massacrou-os sem piedade. Mais de 50 ficaram gravemente feridos, e seis deles foram assassinados num confronto desigual. Em homenagem a eles é que se consagrou este dia.

Para entender a junção da luta trabalhista à religiosidade, basta traçar um paralelo entre a vida cheia de sacrifícios de são José que, segundo as tradições católicas, trabalhou a vida toda para ver Jesus Cristo dar a vida pela humanidade, e a luta dos trabalhadores do mundo todo, pleiteando respeito a seus direitos mínimos. E foram tais motivos que levaram o papa Pio XII a instituir a festa de são José Trabalhador, em 1955, na mesma data em que se comemora o dia do trabalho em quase todo o planeta.

Religiosidade

Para a comunidade católica, são José é o modelo ideal do operário. Sustentou sua família durante toda a vida com o trabalho de suas próprias mãos, cumpriu sempre seus deveres para com a comunidade, ensinou ao filho de Deus a profissão de carpinteiro e, dessa maneira suada e laboriosa, permitiu que as profecias se cumprissem e seu povo fosse salvo, assim como toda a humanidade.

Proclamando são José protetor dos trabalhadores, a Igreja quis demonstrar que está ao lado deles, os mais oprimidos, dando-lhes como patrono o mais exemplar dos seres humanos, aquele que aceitou ser o pai adotivo de Deus feito homem, mesmo sabendo o que poderia acontecer à sua família.

Ainda de acordo com as tradições bíblicas, José lutou pelos direitos da vida do ser humano e, agora, coloca-se ombro a ombro na luta pelos direitos humanos dos trabalhadores do mundo, por meio dos membros da Igreja que aumentam as fileiras dos que defendem os operários e seu direito a uma vida digna.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave